Arquivo da tag: iniquidade

Bem-aventurado é aquele cuja iniqüidade é perdoada

Muita gente vive sob o pesado jugo da condenação, não sabendo ou esquecendo-se de que o perdão de Deus está disponível para todos os que o buscam com sinceridade e com o desejo de dar fim a uma vida de pecado. Tudo começa com o arrependimento, e, aqueles que ainda não entregaram sua vida a Jesus Cristo precisam fazê-lo; ele é o cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo (Jo 1.29). Ele pagou a dívida impagável que tínhamos, com o seu próprio sangue. O castigo que nos traz a paz estava sobre ele (Is 53.5). Uma vez tendo feito a entrega de sua vida a Cristo, é preciso saber que nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus (Rm 8.1). Lembrar desde fato traz uma enorme alegria.

A vontade de Deus para nós é que não pequemos. Quando o fazemos saímos da trilha, erramos o alvo, nos sentimos perdidos. Mas se pecarmos precisamos fazer basicamente duas coisas: arrepender e confessar a Deus o pecado cometido. Na maioria das vezes é essencial confessar também a alguém maduro espiritualmente, para que essa pessoa nos auxilie em conselhos e em oração. Se alguma pessoa sofreu o dano pelo nosso pecado precisamos também confessar e pedir perdão a essa pessoa. Mas tudo isso deve ser feito sob a supervisão de alguém mais maduro que dará as devidas orientações. É preciso muita cautela quanto a isso.

A confissão do pecado revigora nossa alma e nosso corpo. O nosso espírito toma um novo alento. Na Bíblia encontramos um Salmo de Davi que fala exatamente disso. Eis o texto:

“Quando eu guardei silêncio, envelheceram os meus ossos pelo meu bramido em todo o dia. Porque de dia e de noite a tua mão pesava sobre mim; o meu humor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado (Sl 32.3-5).”

Temos mais facilidade de confessar um pecado do que outro, pois os classificamos de acordo com a gravidade. Se julgamos que um pecado é horrendo demais para ser perdoado ficamos a guardá-lo em nosso coração, sofrendo todos os efeitos devastadores que este ocultamento traz. Mas é preciso lembrar que Deus não classifica pecados – para ele todo pecado é horrendo e nos separa dele. Ele quer que aprendamos isso. Ele está mais disposto a nos perdoar do que nós pedirmos perdão, ou seja, enquanto damos um passo em sua direção ele dá dois em nossa.

Para concluir, e importante deixar claro uma coisa. Não está em nós a capacidade de não pecar, pois nossa natureza é corrupta e ama pecar. Só é possível obter vitória sobre o pecado tomando posse da obra de Cristo na cruz, onde nosso velho homem foi crucificado, para que o corpo do pecado seja destruído e não sirvamos o pecado como escravos (Rm 6.6). Então, quando formos tentados a pecar olhemos firmemente para Jesus, que é o nosso modelo da vitória contra o pecado.

Lorimar