Arquivo da tag:

Confia no Senhor de todo o teu coração

Por que podemos confiar no Senhor de todo o coração? Porque ele é o único que jamais nos desapontará ou nos abandonará.

De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei (Hb 13.5).

A maioria de nós sabe disso, no entanto, à medida que os ventos sopram contrários, passamos a nos esquecer deste fato. É por isso que precisamos buscar diariamente a Deus em oração e em atenta leitura à Sua palavra. Com esse hábito passaremos a conhecer melhor seu caráter de fidelidade e santidade.

A confiança no Senhor deve tocar em todas as áreas da nossa vida – nada pode ser deixado de fora. Não podemos confiar em um assunto e fazer reservas em outro. Se não confiarmos em Deus, confiaremos em nosso enganoso coração (Jr 17.9).

Junto com a confiança no Pai vem o descanso e a alegria. Passaremos a tocar no impossível e Seu nome será honrado através do nosso testemunho de dependência e fé.

Prossigamos em conhecer a Deus e Sua infinita fidelidade.

Lorimar

Anúncios

A oração da mulher cananéia

E eis que uma mulher cananéia, que viera daquelas regiões, clamava: Senhor, Filho de Davi, tem compaixão de mim! Minha filha está horrivelmente endemoninhada. Ele, porém, não lhe respondeu palavra. E os seus discípulos, aproximando-se, rogaram-lhe: Despede-a, pois vem clamando atrás de nós. Mas Jesus respondeu: Não fui enviado senão às ovelhas perdidas da casa de Israel. Ela, porém, veio e o adorou, dizendo: Senhor, socorre-me! Então, ele, respondendo, disse: Não é bom tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, contudo, replicou: Sim, Senhor, porém os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos. Então, lhe disse Jesus: Ó mulher, grande é a tua fé! Faça-se contigo como queres. E, desde aquele momento, sua filha ficou sã. (Mt 15.22-28)

Estava hoje lendo esta passagem de Mateus onde é narrado o diálogo de Jesus com uma mulher cananéia. De acordo com o texto a mulher estava profundamente angustiada em função da filha que se encontrava horrivelmente endemoninhada. A mulher não era judia, entretanto ela reconheceu Jesus como o Filho de Davi, o Messias. O único que poderia libertá-la do peso que ela estava carregando.

Vejamos como ela agiu nesta situação:

Primeiro ela reconheceu Jesus como Senhor. Este é o primeiro passo que se deve dar para se achegar a ele.

Depois ela clamou para que ele atentasse para sua miséria (tem compaixão de mim) usando a mesma expressão dos dois cegos que foram curados por Jesus (Mt 9.27).

Jesus ouvia e não falava nada. Pode parecer que ele estava sendo indiferente, mas imagino que ele também estava sofrendo a dor daquela mãe. Para os discípulos aquela cena se mostrava perturbadora. Eles estavam incomodados com o clamor da mulher, ao ponto de pedirem a Jesus para dispensá-la. Era realmente um grande clamor, com gritos e choro. Algum de nós está nesta situação? Se a resposta for sim, o clamor deve continuar até chegar a resposta. Não podemos impressionar ou chamar a atenção de Deus com orações desinteressadas.

Depois da reclamação dos discípulos, Jesus responde à mulher, lembrando-a da sua condição gentia. Ela passa então para o estágio da adoração. Ela o adora e continua clamando por socorro. Jesus mais uma vez argumenta, mas ela insiste no clamor. Neste momento o Senhor exclama: Ó mulher, grande é a tua fé! Que testemunho maravilhoso! Ela impressionou a Deus, tocou os céus. Recebeu o que buscava (Mt 7.7-8). Nem mesmo Pedro pode ouvir tal palavra do Senhor (Mt 14.31).

E quanto a nós? Temos “incomodado” a Deus com nossas orações? Temos sido insistentes e perseverantes? Há muitas coisas que o Pai Celestial gostaria de dar aos seus filhinhos e filhinhas, mas não dá por que esses não pedem com real interesse. Há muitas orações que não passam de ritual, e que não geram relacionamento. Temos na mulher cananéia um grande exemplo que Deus deseja que sigamos. Cheguemos também a ele em inteira certeza de fé.

Lorimar

Não andeis ansiosos

por Adelmo Santos

Contexto – Mat 6: 19 – 34

Mat 6:25-34

Por isso vos digo: Não estejais ansiosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer, ou pelo que haveis de beber; nem, quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o alimento, e o corpo mais do que o vestuário?  (26)  Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?  (27)  Ora, qual de vós, por mais ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado à sua estatura?  (28)  E pelo que haveis de vestir, por que andais ansiosos? Olhai para os lírios do campo, como crescem; não trabalham nem fiam;  (29)  contudo vos digo que nem mesmo Salomão em toda a sua glória se vestiu como um deles.   (30)  Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje existe e amanhã é lançada no forno, quanto mais a vós, homens de pouca fé?   (31)  Portanto, não vos inquieteis, dizendo: Que havemos de comer? ou: Que havemos de beber? ou: Com que nos havemos de vestir?   (32)  Pois a todas estas coisas os gentios procuram. Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso.  (33)  Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.   (34)  Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.

– A ligação do v. 25 com o v. 24.
– Este texto fala da nossa relação com o mundo
– Jesus diz : PENSE. Use sua mente. Raciocine.
– 5 vezes ele fala para pensarmos: Por isso, pois, portanto, pois, pois.
– 3 vezes ele diz: Não estejais ansiosos, não vos inquieteis, não vos inquieteis.
– Se ele nos adverte sobre isto, é porque  vai acontecer.
De certa forma é natural que aconteça. A questão é como lidamos com isto. Como os gentios ? Ou como filhos do Pai. Portanto fica claro; há dois mundos: Mamon/Gentios e Deus Pai/Filhos(cristãos).
Precisamos Lembrar da Magnitude do nosso Deus e Pai, bem como, de que fazemos parte do Seu Reino e Planos eternos.
At 17: 24–28 Rm 11: 33-36  ICor 15: 28

A PRÁTICA DESTE ENSINO

1)  Como Deus sustenta os pássaros, e veste os lírios do campo ? Pense. Ficam parados, sem fazerem nada e os anjos colocam comida e nutrientes em suas bocas e raízes ?
Capacitação de Deus. Para voar e achar comida, bem como, para tirá-las do solo e da água. E nós ? Pense.
Deus nos tem capacitado para saber semear, colher e ainda guardar em celeiros para o momento certo. Deus nos tem capacitado a trabalhar e fiar, costurar. Fazer tecidos, etc.
O que é mais importante ? Pense. A vida ou o alimento ? O corpo ou a roupa ?
Se Deus nos deu a vida e o corpo também não irá prover as necessidades deles ?
Deus esta mais preocupado(dá mais valor) com eles do que nós.( I Co 6: 13)
Quem é mais importante para Deus ? Os pássaros e flores, ou nós ? Pense.
Se Deus os capacitou, não nos capacitara muito mais ?
Jesus esta dizendo claramente :

1) Que o Pai nos dará mais alimento do que às aves.(26)

2) Que nos vestira mais do que as flores.(27)
Pense
(32)… “Porque vosso Pai celestial sabe que precisais de tudo isso”.  Deus está presente no nosso trabalho. Deus está presente nas dificuldades pessoais : íntimas, familiares, relacionais, na obra, na vida da igreja, nas enfermidades.
Nas alegrias, vitórias e sucessos. Ele tem o suprimento necessário preparado. Nem sempre nos livrando como pensamos. Mas como ele quer. Temos que crer que ele sabe cuidar de nós, melhor que nós mesmos.Ele nos dará a força e suprimento necessário.
Devemos nos apropriar disto. Crer nisto.
V. 30 – Homens de pequena fé( não é sem fé). Levantemos nossos olhos para as promessas de Deus.
E, Então ?….
Conclusão de Jesus. Creia no óbvio. Leve Deus a sério. (33)  Mas buscai primeiro o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Acrescentadas como ?
O que é Buscar o seu Reino e a sua justiça ?
Buscar o Reino, é fazer coisas para Deus ? É uma troca ?
E o que é “a sua justiça” ?
O primerio mandamento, e o segundo semelhante a este .
– Amar a Deus com todo o nosso ser.
– Vida de retidão – Nossa relação com o próximo.

Finalmente e conclusão.

(34)  Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã; porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal. Devemos viver a vida em porções diárias. O suprimento de Deus é diário.  Suas misericórdias se renovam a cada manhã.
Parece-me que o Senhor esta nos dizendo que ele sabe que nossas necessidades e dificuldades não são só alimento e roupa. Mas para cada necessidade de cada dia o Pai tem o suprimento e solução.
Podemos levantar cada dia e agradecer pelo suprimento que já está preparado.
Por maiores que sejam as lutas ou dificuldades.
“Deus quer tenhamos confiança constante e necessidades constantes”.
Ter necessidades nem sempre e sinal de incompetência, erro, pecado, etc.
Enquanto estiver nesta terra, todos os dias vamos ter necessidades e dificuldades. Ele vai suprir. Da fé  a vida – II Pe 1: 5

Perguntas:

1) Nas palavras de Jesus,porque não precisamos viver ansiosos ?
2) Como Deus supres nossas necessidades ?
3) O que significa, Buscar o Reino e a sua Justiça ?
4) Como devemos viver a vida ? E o que significa : “… pois o amanhã se preocupara consigo mesmo.”

Fonte: http://www.seguindoacristo.com.br/artigos_Adelmo.htm

A fé do centurião

“Tendo Jesus concluído todas as suas palavras dirigidas ao povo, entrou em Cafarnaum. E o servo de um centurião, a quem este muito estimava, estava doente, quase à morte. Tendo ouvido falar a respeito de Jesus, enviou-lhe alguns anciãos dos judeus, pedindo-lhe que viesse curar o seu servo. Estes, chegando-se a Jesus, com instância lhe suplicaram, dizendo: Ele é digno de que lhe faças isto; porque é amigo do nosso povo, e ele mesmo nos edificou a sinagoga. Então, Jesus foi com eles. E, já perto da casa, o centurião enviou-lhe amigos para lhe dizer: Senhor, não te incomodes, porque não sou digno de que entres em minha casa. Por isso, eu mesmo não me julguei digno de ir ter contigo; porém manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados às minhas ordens, e digo a este: vai, e ele vai; e a outro: vem, e ele vem; e ao meu servo: faze isto, e ele o faz. Ouvidas estas palavras, admirou-se Jesus dele e, voltando-se para o povo que o acompanhava, disse: Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta. E, voltando para casa os que foram enviados, encontraram curado o servo.” (Lc 7:1-10)

O centurião mencionado por Lucas nestes versículos possuía uma fé simples – uma fé que todos nós deveríamos praticar. Sua confiança na soberania divina estava alicerçada em um coração sensível à necessidade do próximo. Ele estava interessado no bem estar do seu servo, e ainda supria as necessidades dos judeus, sendo amigo deles. Naquela contexto de estarem sob o jugo romano não era comum os judeus terem simpatia por oficiais romanos. Mas este era um oficial diferente. Ele temia a Deus e reconhecia a autoridade de Jesus Cristo. Isso fez com que Jesus se admirasse, fazendo ao centurião um dos maiores elogios em toda a bíblia: “Afirmo-vos que nem mesmo em Israel achei fé como esta.” (Lc 7:9)
A bíblia nos ensina que sem fé é impossível agradar a Deus (Hb 11:6). Se não andarmos pela fé andaremos pela carne, e isso também não agrada a Deus (Rm 8:8). Precisamos de uma fé simples, prática e poderosa como a deste oficial romano. Há carência dela em nossos dias; temos tantos recursos ao nosso alcance que preferimos deixar de lado a fé. Perdemos muito com isso, pois o andar em fé fala de relacionamento com Deus, e sem relacionamento com o Senhor a vida fica sem sentido e propósito.

Lorimar

nota: O centurião era o soldado responsável por comandar a centúria, dando ordens que deveriam ser prontamente obedecidas pelos soldados, especialmente as formações militares. O centurião, apesar de seu posto de destaque, era um soldado que lutava com os demais, não se locomovia a cavalo, marchava junto à sua centúria e acampava conjuntamente a eles. Seria o equivalente a capitão, na hierarquia atual. (fonte: Wikipédia)