Arquivo da categoria: pureza

Evangélicos reforçam ações para combater frente gay

Quinta-feira, 31/03/2011

Hugo Harada/Gazeta do Povo

Hugo Harada/Gazeta do Povo / Pastor Pedro Ribeiro, durante fórum em Curitiba: estratégia para barrar propostas pró-gays é readequá-las aos “princípios” religiosos por meio de emendas
Pastor Pedro Ribeiro, durante fórum em Curitiba: estratégia para barrar propostas pró-gays é readequá-las aos “princípios” religiosos por meio de emendas

 

 

Em encontro em Curitiba, representantes religiosos reafirmaram posições contra o casamento homossexual e a criminalização da homofobia.

Em seu segundo congresso itinerante pelas principais capitais do país, o Fórum Evangélico Nacional de Ação Social e Po­­lítica (Fenasp) passou no último fim de semana por Curitiba e reforçou o posicionamento contrário a temas como o casamento homossexual e a criminalização da homofobia. Se­­gundo os representantes do movimento, que conta com a participação de parlamentares da Frente Evangélica no Con­gresso, é preciso defender a vi­­da e os valores da família. Para isso, eles pretendem usar todos os mecanismos possíveis na Câmara e no Senado a fim de se sobrepor à Frente Parlamentar pela Cidadania LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Tran­­sexuais e Transgêneros), que será lançada amanhã.

Considerado o terceiro grupo mais influente no Congresso – atrás apenas dos parlamentares ligados à saúde e dos ruralistas –, a Frente Evangélica passou a atuar de maneira com ainda mais força nesta legislatura com a posse do deputado Jean Wyllys (PSol-RJ), que de­­fende a bandeira do movimento gay. Amanhã, no lançamento da Frente LGBT, o parlamentar vai protocolar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) que estende o direito do casamento civil aos homossexuais.

Contra-ataque

Ex-BBB enfrenta ameaças por valorizar homossexuais

Primeiro gay assumido a levantar a bandeira do movimento LGBT no Congresso, o deputado federal Jean Wyllys (PSol-RJ) tem enfrentado a resistência de uma espécie de bancada informal antigay e, inclusive, recebido ameaças de morte pela internet. Apesar disso, o parlamentar disse que nada o fará desistir de sua luta pela valorização dos homossexuais.

“Essas pessoas mentem e tentam jogar com a ignorância da população para confundi-la. Apesar de a Constituição prever igualdade de direitos a todos, o casamento civil é negado a uma parcela da população. Apenas lutamos pelos mesmos direitos aos homossexuais”, afirmou. “Com a criminalização da homofobia, queremos impedir que a dignidade dos homossexuais seja violada publicamente. Não se trata de cercear a liberdade religiosa ou de expressão, até porque a liberdade de um vai até quando os direitos do outros passam a ser violados.” (ELG)

David Ribeiro/Agência Câmara Federal

David Ribeiro/Agência Câmara Federal / Jean Wyllys: ameaças de morte pela internet

Jean Wyllys: ameaças de morte pela internet

“Isso é antibíblico e fere a éti­­ca e a moral. Devem-se manter os valores da família tradicional. Permitir o casamento civil homossexual seria um pas­­so para o casamento religioso”, defendeu o ex-deputado Pastor Pedro Ribeiro (PR-CE), secretário-executivo da Frente Evangélica. “Cada um tem li­­berdade de fazer com o corpo o que quiser, mas a Constituição só reconhece como casal um homem e uma mulher.”

O mesmo tratamento é dado pelo Fenasp em relação ao projeto que torna crime a discriminação contra homossexuais. A proposta já foi aprovada na Câmara, mas ficou parada no Senado na última legislatura e, no mês passado, foi desarquivada pela senadora Marta Suplicy (PT-SP). “A Igreja nunca fez discurso de ódio contra ninguém. Não podem querem imprimir uma legislação sobre um debate infundado de que há um preconceito criminoso da nossa parte”, afirmou o pastor Wilton Acosta, presidente nacional do fórum. “Não se trata de preconceito, mas de defender a valorização da família.”

Ribeiro reforçou o discurso de Acosta e disse que, aprovar a proposta, significaria dar mais direitos aos homossexuais além dos que eles já têm como qualquer cidadão. “Apesar de laico, o Estado reconhece a ma­­nifestação religiosa. Além disso, todos têm direito à livre ma­­nifestação de pensamento e é o que estamos fazendo”, argumentou o ex-parlamentar.

Outro tema que os evangélicos criticam abertamente envolve a legalização do aborto, que é tratada em cerca de 20 projetos em tramitação no Con­­gresso. Em um vídeo apresentado no fórum, o texto falava que o Brasil não pode passar pela “vergonha e maldição de ser um país a favor do aborto”.

As estratégias do Fenasp e da Frente Evangélica para barrar todas essas propostas é readequá-las aos seus “princípios” por meio de emendas ou, então, derrotar as matérias no plenário da Câmara e do Senado. “Tam­­bém temos deputados nas comissões de Direitos Huma­nos, da Família e de Constitui­ção e Justiça atentos a matérias nesse sentido”, revelou Ribeiro. Para direcionar a atuação dos parlamentares no Congresso, o fórum fará uma carta dos debates realizados em todo o país.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/vidapublica/conteudo.phtml?tl=1&id=1110124&tit=Evangelicos-reforcam-acoes-para-combater-frente-gay

Anúncios

Homofobia: Se ódio é o problema, posso discordar em amor?

A Universidade Presbiteriana Mackenzie vem recebendo ataques e críticas por um texto alegadamente “homofóbico” veiculado em seu site desde 2007. Nós, de várias denominações cristãs, vimos prestar solidariedade à instituição. Nós nos levantamos contra o uso indiscriminado do termo “homofobia”, que pretende aplicar-se tanto a assassinos, agressores e discriminadores de homossexuais quanto a líderes religiosos cristãos que, à luz da Escritura Sagrada, consideram a homossexualidade um pecado. Ora, nossa liberdade de consciência e de expressão não nos pode ser negada, nem confundida com violência. Consideramos que mencionar pecados para chamar os homens a um arrependimento voluntário é parte integrante do anúncio do Evangelho de Jesus Cristo. Nenhum discurso de ódio pode se calcar na pregação do amor e da graça de Deus. 

Como cristãos, temos o mandato bíblico de oferecer o Evangelho da salvação a todas as pessoas. Jesus Cristo morreu para salvar e reconciliar o ser humano com Deus. Cremos, de acordo com as Escrituras, que “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23). Somos pecadores, todos nós. Não existe uma divisão entre “pecadores” e “não-pecadores”. A Bíblia apresenta longas listas de pecado e informa que sem o perdão de Deus o homem está perdido e condenado. Sabemos que são pecado: “prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçaria, inimizades, contendas, rivalidades, iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias” (Gálatas 5.19). Em sua interpretação tradicional e histórica, as Escrituras judaico-cristãs tratam da conduta homossexual como um pecado, como demonstram os textos de Levítico 18.22, 1Coríntios 6.9-10, Romanos 1.18-32, entre outros. Se queremos o arrependimento e a conversão do perdido, precisamos nomear também esse pecado. Não desejamos mudança de comportamento por força de lei, mas sim, a conversão do coração. E a conversão do coração não passa por pressão externa, mas pela ação graciosa e persuasiva do Espírito Santo de Deus, que, como ensinou o Senhor Jesus Cristo, convence “do pecado, da justiça e do juízo” (João 16.8). 

Queremos assim nos certificar de que a eventual aprovação de leis chamadas anti-homofobia não nos impedirá de estender esse convite livremente a todos, um convite que também pode ser recusado. Não somos a favor de nenhum tipo de lei que proíba a conduta homossexual; da mesma forma, somos contrários a qualquer lei que atente contra um princípio caro à sociedade brasileira: a liberdade de consciência. A Constituição Federal (artigo 5º) assegura que “todos são iguais perante a lei”, “estipula ser inviolável a liberdade de consciência e de crença” e “estipula que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política”. Também nos opomos a qualquer força exterior – intimidação, ameaças, agressões verbais e físicas – que vise à mudança de mentalidades. Não aceitamos que a criminalização da opinião seja um instrumento válido para transformações sociais, pois, além de inconstitucional, fomenta uma indesejável onda de autoritarismo, ferindo as bases da democracia. Assim como não buscamos reprimir a conduta homossexual por esses meios coercivos, não queremos que os mesmos meios sejam utilizados para que deixemos de pregar o que cremos. Queremos manter nossa liberdade de anunciar o arrependimento e o perdão de Deus publicamente. Queremos sustentar nosso direito de abrir instituições de ensino confessionais, que reflitam a cosmovisão cristã. Queremos garantir que a comunidade religiosa possa exprimir-se sobre todos os assuntos importantes para a sociedade.

Manifestamos, portanto, nosso total apoio ao pronunciamento da Igreja Presbiteriana do Brasil publicado no ano de 2007 e reproduzido parcialmente, também em 2007, no site da Universidade Presbiteriana Mackenzie, por seu chanceler, Reverendo Dr. Augustus Nicodemus Gomes Lopes. Se ativistas homossexuais pretendem criminalizar a postura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, devem se preparar para confrontar igualmente a Igreja Presbiteriana do Brasil, as igrejas evangélicas de todo o país, a Igreja Católica Apostólica Romana, a Congregação Judaica do Brasil e, em última instância, censurar as próprias Escrituras judaico-cristãs. Indivíduos, grupos religiosos e instituições têm o direito garantido por lei de expressar sua confessionalidade e sua consciência sujeitas à Palavra de Deus. Postamo-nos firmemente para que essa liberdade não nos seja tirada.

Este manifesto é uma criação coletiva com vistas a representar o pensamento cristão brasileiro. Para ampla divulgação.

Fonte: http://voltemosaoevangelho.blogspot.com

Obs.: A figura não faz parte do artigo original.

Tentação – parte final

Agora que já estudamos um pouco do que é a tentação, do que é o pecado, as áreas em que somos tentados e que Jesus também foi tentado, resta a pergunta: o que fazer? O que fazer quando aparece a tentação?

Alguém comentou em um dos posts: ninguém tropeça numa montanha e sim em pedrinhas. Ou seja, para cairmos em maçã feliz 300x248 Tentação   parte final pecado é muito mais fácil tropeçarmos em alguma coisa “pequena”. A tentação nunca vai ter aparência de algo ruim, mas sim o disfarce de algo bom. (A maçã vem disfaraçada!).

Mas como resistir as tentações?

Bom, vc já viu que Jesus passou pelas mesmas coisas que vc! Então, por que vc não pede ajuda a Ele?

JESUS FOI TENTADO E AGORA É NOSSO AJUDADOR

Então, corre pra Palavra e sublinha esses versículos:

a) Jesus ora pelos que são tentados (Lc 22.31-32)

Jesus continuou: -Simão, Simão, escute bem! Satanás já conseguiu licença para pôr vocês à prova. Ele vai peneirar vocês como o lavrador peneira o trigo a fim de separá-lo da palha. Mas eu tenho orado por você, Simão, para que não lhe falte fé. E, quando você voltar para mim, anime os seus irmãos.

b) Ajuda aos que são tentados (Hb 2.17-18)

Isso quer dizer que foi preciso que Jesus se tornasse em tudo igual aos seus irmãos a fim de ser o Grande  Sacerdote deles, bondoso e fiel no seu serviço a Deus, para que os pecados do povo fossem perdoados.  E agora Jesus pode ajudar os que são tentados, pois ele mesmo foi tentado e sofreu.

c) Compadece das nossas fraquezas (Hb 4.15-16)estender a mão 300x225 Tentação   parte final

O nosso Grande Sacerdote não é como aqueles que não são capazes de compreender as nossas fraquezas. Pelo contrário, temos um Grande Sacerdote que foi tentado do mesmo modo que nós, mas não pecou. Por isso tenhamos confiança e cheguemos perto do trono divino, onde está a graça de Deus. Ali receberemos misericórdia e encontraremos graça sempre que precisarmos de ajuda.

d) Salva aos que lhe obedecem (Hb 5.8-9)

Embora fosse o Filho de Deus, ele aprendeu, por meio dos seus sofrimentos, a ser obediente. E, depois de ser aperfeiçoado, ele se tornou a fonte da salvação eterna para todos os que lhe obedecem.

e) Intercede por nós (Hb  7.25)

E por isso ele pode, hoje e sempre, salvar os que vão a Deus por meio dele, porque Jesus vive para sempre a fim de pedir a Deus em favor deles.

f) Guarda os fiéis na hora da tentação (Ap 3.10)

Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra.

g) Ele venceu! E a vitória é certa (Jo 16.33)

Eu digo isso para que, por estarem unidos comigo, vocês tenham paz. No mundo vocês vão sofrer; mas tenham coragem. Eu venci o mundo.

Então! Pede ajuda a Jesus, Ele entende o que vc tá passando!  Mas vc também precisa fazer a sua parte.

Se um dos seus olhos faz com que você peque, arranque-o! Pois é melhor que você entre no Reino de Deus com um olho só do que ter os dois e ser jogado no inferno. (Marcos 9:47)

Gosto da forma como o filme À Prova de Fogo demonstra essa situação. O marido que não consegue se livrar da pornografia online, o que ele faz? Apenas não clicar nos sites não era suficiente. Ele não era forte o suficiente. Então, ele joga o computador fora. Ótima ilustração desse versículo. Não o interprete literalmente. Não vá arrancar teu olho! Mas arrenque as coisas que não te fazem bem. Desligue o computador, ou o jogue fora. Não compre aquelas revistas. Desligue a tv.

Devemos ser guiados pela Palavra de Deus. Jesus não resistiu ao diabo utilizando o Seu poder. Antes, Ele se manteve firme, na Palavra de Deus:

“Guardo no coração as Tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmos 119:11).

Por meio da Palavra de Deus, podemos saber como Ele deseja que vivamos quando tentados. Isso nos encoraja bastante, pois nos mostra que a resistência está ao nosso alcance. Se permitirmos que a palavra de Deus habite em nós, seremos fortalecidos em nosso  interior com o poder necessário para vencer o maligno (1 João 2:14).

“Porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo” (1 João 4:4).

Observe os versículos que Cristo citou em resposta às seduções do diabo. “Não só de pão viverá o homem” está em  Deuteronômio 8:3. “Não tentarás o Senhor, teu Deus” está em Deuteronômio 6:16. E “Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto” está em Deuteronômio 6:13. Todas as três são citações de uma parte das Escrituras que se inicia com estas palavras: “Ouve, Israel, o Senhor, nosso Deus, é o único Senhor. Amarás, pois, o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de toda a tua força” (Deuteronômio 6:4-5). Cristo mais tarde chamouleitura 300x174 Tentação   parte final isso: “O principal de todos os mandamentos” (Marcos 12:29). No deserto, Cristo demonstrou que, embora tentado a pecar tanto física quanto emocionalmente, mesmo a maior das tentações pode ser vencida se estivermos completamente comprometidos com Deus e com a Sua obra. Que o exemplo de resistência de Cristo sempre nos guie.

obs: baseado nos sites  http://www.adapucarana.org/http://www.estudosdabiblia.net/

Uma ótima semana!

Que possamos colocar em prática esse versículo:

“Guardo no coração as Tuas palavras, para não pecar contra ti” (Salmos 119:11).

Abraços

Pati Geiger

Fonte: http://naomordamaca.com/2010/05/24/tentacao-parte-final/

Tentação X Pecado (parte 1)

Olá!

Estava dando uma lida neste post e achei interessante compartilhar com vocês. Todos os dias nós somos tentados,  e isso não terá fim até que o Senhor Jesus venha nos buscar. Enquanto isso, lutemos bravamente para não cairmos em tentação, dependendo sempre da graça de Deus.

Lorimar

por Pati Geiger do blog Não Morda a Maçã

Oiiii galera!!!

Tudoo bem com vcs?

Se eu te pedir, o que é tentação, vc saberia me responder de forma simples?

Muitas pessoas confundem tentação com pecado.                                                                                                                            maca 300x187 Tentação X Pecado  (parte 1)

O pecado não é algo instantâneo, é sempre precedido pela tentação e pelo processo de reagirmos a ela. Ou seja , ser tentado não é pecado. E toda tentação pode ser vencida, por isto, todo pecado pode ser evitado. Não podemos de maneira alguma fazer da tentação um pretexto para o pecado.

“… cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.”  Tiago 1:14 e 15

A tentação não está obrigatoriamente ligada a pecaminosidade. Tanto Adão quanto Jesus não possuíam pecado e ambos foram tentados: Adão cedeu à tentação, enquanto Jesus mostrou que podemos vencê-la.nãomordamaçã 257x300 Tentação X Pecado  (parte 1)

É muito importante entendermos também o que é o pecado. Acredito que estaríamos sendo muito superficiais e até mesmo injustos definindo o pecado simplesmente através de uma lista legalista de “não podes”.

Vamos, portanto, estabelecer a definição de pecado a partir do nosso relacionamento com os nossos sentimentos e desejos juntamente com o respectivo efeito colateral disto, ou seja, “quem governa quem?” Governamos nossos desejos ou nossos desejos nos governam, ou melhor, nos desgovernam?

Paulo aborda esta questão de uma maneira muito clara:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém: todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”. (I Co 6:12)

Portanto, pecado é o resultado de falharmos diante deste conflito: dominamos sobre nossos desejos e sentimentos ou somos dominados?

Os três desejos básicos

Existem três desejos básicos que Deus colocou no homem. “Existem três desejos básicos – nem mais, nem menos que três. Eva foi tentada nestes três desejos básicos: O desejo de ter prazer nas coisas, o desejo de obter coisas e o desejo de realizar coisas” T. A. Hegre.

“Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer (1), agradável aos olhos (2), e árvore desejável para dar entendimento (3)…” (Gn 3:6)

“Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne (1), a concupiscência dos olhos (2) e a soberba da vida (3), não é do Pai, mas do mundo”, (1 Jo 2:16)

Devemos ressaltar que a palavra “concupiscência” significa apenas um desejo forte, uma propensão ou inclinação acentuada. Poderíamos dizer que o processo da tentação se dá em quatro fases quase que simultâneas:

1. Concupiscência da carnegula1 199x300 Tentação X Pecado  (parte 1)

É expresso nas palavras: “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer” (Gn 3:6). Diz respeito ao desejo de “Obter satisfação”. É um desejo legítimo, dado por Deus. Tem a ver com as nossas necessidades como ser humano. Ex: apetite alimentar, sono, prazer sexual, aceitação (conforto emocional), etc.

A tentação reside numa instigação feita ao homem para que ultrapasse os limites estabelecidos pela palavra de Deus. O resultado seria glutonaria, bebedice, preguiça, fornicação, lascívia, manipulação, etc. Aqui se aplica o conceito de carnalidade, que nada mais é que a idolatria do desejo de obter satisfação.

2.    Concupiscência dos olhos

É apresentado nas palavras:”… agradável aos olhos…” (Gn 3:6b). Este é um outro desejo legítimo codinheiro 223x300 Tentação X Pecado  (parte 1)ncedido por Deus,  de se “adquirir coisas”, o desejo de aquisição, relacionado com necessidades exteriores ao nosso corpo, coisas que almejamos conseguir. Existe um toque muito forte de realização neste desejo. Nós podemos querer ter coisas, mas não devemos querer nada que Deus também não queira para nós. Só na vontade de Deus, vamos experimentar o que verdadeiramente é bom, perfeito e agradável (Rm 12:2). Por isto é tão cabível a admoestação de Paulo: “Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor (Ef5:17).

Quando queremos muito, despertamos em nós uma ambição que pode ser implacável e destrutiva. E este desejo pode crescer tanto, vindo a dominar-nos através da inveja, ciúmes, roubo, homicídio, etc.

3.    Soberba da vida

Expresso nas palavras seguintes: “e arvore desejável para dar entendimento’ (Gn 3:6c). Este é mais um desejo legítimo, concedido ao homem por Deus, de saber e fazer. É importante querermos realizar alguma coisa, adquirir conhecimento, ser alguém, ter criatividade. Mas, aqui também precisamos nos afinar com a palavra de Deus.

A tentação reside no fato de abandonarmos os planos de Deus e agirmos por conta própria. Alguns pecados nesta área seriam: auto-afirmação, orgulho, superioridade, inferioridade, competição, etc.

É muito comum vermos pessoas fazendo a obra de Deus sem Deus, por causa disto.

Resumindo, somos tentados em 3 áreas!

É indispensável desenvolvermos uma habilidade espiritual de resistir à tentação. Quanto mais resistimos à tentação mais imunidade adquirimos em relação àquela área. A mente é o campo de batalha, por isto precisamos bombardear os pensamentos de tentação com verdades vivas da Palavra de Deus como Jesus fez com o diabo.

Para isto acontecer na prática, é indispensável uma vida devocional diária. Um relacionamento responsável com Deus na Palavra e na oração redunda numa vida plena de discernimento espiritual e domínio próprio.

Tá, mas vc pode estar pensando: “ninguém entende as tentações q eu passo” ou “ninguém passa pelo que eu passo”.

Será?  Semana que vem vamos continuar o assunto!

obs: baseado no livro “A face oculta do amor”, do escritor Marcos de Souza Borges. Reorganizei algumas ideias e inclui outras. Achei muito legal a forma como o autor trata dessas questões e resolvi compartilhar com vcs!

Fonte: http://naomordamaca.com/2010/05/11/tentacao-x-pecado-parte-1/

Não se endureça pelo engano do pecado

“Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;” Hb 3:13

Estava medidando sobre este versículo, e me veio grande temor ao entender que se eu permitir que o pecado se torne um hábito em minha vida, ficarei endurecido por ele. Como sabemos o pecado é enganoso, sempre prometendo coisas que não pode cumprir. Se atendendermos aos seus apelos ficaremos calejados e insensíveis. Se continuamente repetirmos os mesmos pecados deliberadamente, gradativamanete perderemos a capacidade de nos arrepender. Como isso é sério!

Em Gálatas 6.7 lemos: Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.”

A graça e a misericórdia de Deus são reais e sempre presentes na vida do pecador que verdadeiramente se arrepende de seus maus caminhos. Se negligerciarmos está tremenda dádiva, levando uma vida descuidada corremos o risco de ficarmos totalmente insensíveis ao pecado e a Deus.

Com a carne não se barganha, não se faz concessões – ela sempre lutará contra os espírito, pois são opostos entre si (Gl 5.17). Mas se andarmos no Espírito, jamais atenderemos aos desejos da carne (Gl 5.16).

Andemos então no Espírito. Nesse andar trilharemos o caminho da cruz,  e, se estamos interessados em sermos discípulos de Cristo, trilharemos com alegria esse caminho. Perderemos agora, nas coisas passageiras, porém ganharemos nas coisas eternas.

Uma semana de vitória!

Lorimar

Lorimar

Pensamentos

Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso que ocupe o vosso pensamento. (Fp 4.8)

A administração dos pensamentos é uma árdua tarefa que exige dedicação e perseverança, visto que a mente é  constantemente “bombardeada” por toda a sorte de pensamentos malignos e nocivos, sendo Satánas perito na arte de lançar esses pensamentos. Na agitação dos dias que passam estes “bombardeios tornam-se cada dia mais intensos, tendo como objetivo nos afastar da paz que há em Cristo Jesus.

A paz que encontramos em Jesus pode guardar o nosso coração e também a nossa mente (Fp 4.7); com ela fica fácil guardar os pensamentos. Onde há paz, não há dúvidas, e dúvida é sinônimo de pensamento confuso.

É preciso então viver sob a paz de Deus, que excede todo o entendimento. O sentido constante desta paz livra a mente do pensar desordenado, ficando ela frútifera para os pensamentos e sonhos de Deus.

Que venhamos nós diariamente ter nossa mente ocupada com pensamentos que edificam e  que agradam ao nosso Senhor Jesus.

Lorimar