Arquivo da categoria: perseverança

Uma jovem mulher disposta a morrer por sua fé

IRAQUE

Por meio do trabalho da Portas Abertas, Deus está usando o apoio de cristãos ao redor do mundo para ajudar cristãos refugiados a encontrar força e conforto.

Uma das maiores crises da atualidade é o crescimento alarmante do número de cristãos refugiados. Homens, mulheres e crianças têm sido forçados a fugir de suas casas por causa da crescente violência, ameaças de morte e ataques diretos aos quais são submetidos unicamente por sua fé em Jesus.

Através do contínuo apoio de cristãos em todo o mundo, a Portas Abertas têm ajudado a manter as mínimas condições de sobrevivência dos cristãos iraquianos, apesar de todas as dificuldades que eles têm enfrentado.

Raja, uma jovem cristã iraquiana, de 20 anos, nunca vai esquecer o dia em que o corpo do seu pastor foi encontrado sem vida em uma sarjeta.

Ele tinha sido pego por extremistas que bateram brutalmente nele e depois o mataram, tudo porque ele não negou a Jesus. E, para enviar uma mensagem, jogaram seu corpo na sarjeta.

Por causa do aumento da perseguição, Raja e sua família foram forçados a fugir de sua casa. Mas, esse terrível acontecimento desafiou profundamente a fé de Raja.

“Eu comecei a me perguntar se eu estava realmente pronta para morrer por minha fé, como meu pastor”, ela explicou. “Eu tenho que ser honesta, no começo eu não era tão valente. Eu pensei, ‘eu vou dizer que me converti ao islã, mas vou continuar com Cristo em meu coração’. Mas, quando eu pensei no sacrifício do meu pastor, eu comecei a perceber que eu nunca iria negar minha fé. Eu sei que a dor da morte dura somente por um minuto, mas depois eu estarei com meu Salvador para sempre.”

Atualmente, Raja e sua família estão trabalhando para recomeçar suas vidas em outra parte do Iraque, que ainda é perigosa. A Portas Abertas está lá ajudando a fornecer os recursos, o incentivo e o apoio que precisam para permanecer firmes na fé.

Fonte: Portas Abertas Internacional
Tradução: Letícia Epifanio

 

 

 

Anúncios

O Poder da pressão (Watchman Nee)

Não queremos, irmãos, que ignoreis a natureza da tribulação que nos sobreveio na Ásia, porquanto foi acima das nossas forças, a ponto de desesperarmos até da própria vida. Contudo, já em nós mesmos, tivemos a sentença de morte, para que não confiemos em nós e sim no Deus que ressuscita os mortos; o qual nos livrou e livrará de tão grande morte; em quem temos esperado que ainda continuará a livrar-nos. 2 Coríntios 1.8-10

A PRESSÃO DAS CIRCUNSTÂNCIAS

Não só o pecado e a necessidade criam pressão, mas as circunstâncias produzem-na também. Deus permite que os crentes passem pela pressão das circunstâncias para que vivam diante Dele. Freqüentemente, situações adversas são levantadas na vida dos filhos de Deus. Alguns são perturbados pelos familiares, outros, pelos amigos. Alguns podem sofrer perdas nos negócios; outros podem ser perseguidos pelos colegas. Uns podem ser hostilizados ou mal-interpretados pelas pessoas; outros podem ter dificuldades financeiras. Por que todas essas coisas lhes sobrevêm? Muitos crentes normalmente não reconhecem quão preciosa é a vida regenerada que receberam. Embora sejam nascidos de novo, são ainda ignorantes do fato de que sua vida regenerada não tem preço. Mas, uma vez que estejam sob pressão, eles começam a apreciar sua vida regenerada porque essa nova vida que Deus lhes deu os capacita a vencer em todas as situações. Todas essas pressões exteriores podem provar a realidade da vida regenerada e de seu poder. O Senhor propositadamente nos coloca em situações adversas a fim de nos lembrar que, sem Sua vida, não podemos suportar. O poder da Sua vida é manifesto através da pressão exterior.

Se, por exemplo, seu coração está sendo traspassado por algo que leva você a chorar em secreto, e você reconhece que está totalmente desamparado e distante de qualquer conforto, você ganhará vitória completa se, naquele momento, se lançar em Deus. Você ficará maravilhado com a grandeza do poder que lhe dá vitória. Essa pressão exterior leva você a confiar em Deus espontaneamente, capacitando você, por sua vez, a manifestar , a realidade e o poder da vida do Senhor. Naturalmente, os que não creram no Senhor e não possuem a vida regenerada serão, sem dúvida, esmagados sob a forte pressão de tais circunstâncias agonizantes. Um cristão, todavia, é regenerado e tem uma vida dentro de si que é mais forte do que qualquer pressão exterior. Quando é oprimido, então, ele vence, visto que a pressão das circunstâncias simplesmente comprova a vida regenerada dentro dele.

Li uma vez um panfleto intitulado “Seja uma Máquina de Gás”. Ele contava a história de certa pessoa. Na cidade americana de Pittsburgh, a comunidade toda naquela época usava lâmpadas a gás. O proprietário da companhia de gás era cristão. Em certa época, ele começou a enfrentar muitas situações adversas. Seus clientes o acusavam freqüentemente de coisas que não tinham nenhuma relação com ele. Pessoas que negociavam com ele opunham-se-lhe e recusavam dar-lhe a devida cortesia. Então, ele orou a Deus pedindo que lhe concedesse poder para vencer todas aquelas dificuldades. Mas, depois de orar assim, sua situação apenas piorou.

Um dia, um empregado veio dizer-lhe que todas as máquinas na fábrica haviam parado de funcionar. Como ninguém sabia nem conseguia descobrir onde estava o problema, o proprietário mesmo teve de ir inspecionar a situação. Em sua inspeção, ele descobriu que o maquinário estava todo intacto, a não ser uma pequena válvula em uma caldeira, que estava quebrada. Sem qualquer pressão, então, todo o vapor que havia sido produzido não podia ser utilizado e, com isso, nenhuma das máquinas funcionaria. Foi naquele momento que ele ouviu uma voz suave e mansa lhe dizendo: “Você devia ser uma máquina de gás”. Posteriormente, ele testemunhou que este maquinário de gás falou a ele da mesma forma que a mula de Balaão no passado. Louvores e graças a Deus! Ele também comprovou o fato de que não havia pressão porque a válvula estava quebrada; e, sem pressão, as lâmpadas da cidade inteira não poderiam gerar luz. Todavia, a presença da pressão levou as lâmpadas de toda a cidade a brilhar. Por isso, ele não poderia resistir à pressão em sua vida e deveria ser, pelo contrário, uma máquina de gás. Devemos ver que o poder da vida de uma pessoa não pode exceder a pressão que ela recebe. Havia um irmão entre nós que se recusou a cultuar os ancestrais em seu casamento. Seu tio havia conseguido anteriormente um emprego para ele no banco, mas, devido à sua recusa em cultuar os ancestrais, não lhe deram aquela posição. Todos lamentamos por ele, mas esse incidente obviamente mostrou quanto poder havia nele. Porque se eu posso ficar de pé depois de ser empurrado, isso mostra quanto poder tenho dentro de mim. Um empurrão exterior apenas manifesta a força interior. O poder manifestado de dentro é tão grande quanto a pressão de fora. A Bíblia não nos fala só do fato da ressurreição, mas também revela-nos o princípio da ressurreição. O Senhor Jesus Cristo foi ressuscitado dentre os mortos. Isso é um fato. Mas muitos ensinamentos concernentes à ressurreição, tais como conhecer seu poder, pertencem ao princípio da ressurreição. De modo que a ressurreição não é apenas um fato; ela é também um princípio que deve ser provado em nossa vida.

O princípio da ressurreição é baseado no fato da ressurreição. Certo Homem que estava vivo fisicamente um dia foi crucificado. Naturalmente, Ele morreu e foi sepultado. Mas ressuscitou dentre os mortos. A escravidão da morte não tinha poder sobre Ele, porque havia Nele um poder maior do que a morte. E, embora esse poder tenha passado pela morte, estava vivo, pois não podia ser tocado pela morte. Por isso, o princípio da ressurreição é vida que sai da morte.

Suponhamos que um irmão seja naturalmente paciente, gentil e amoroso. Essas nada são além de partes da sua bondade natural que não poderiam ser ressuscitadas. Mas Deus permite que seus amigos, parentes e colegas o pressionem, afligindo-o e ferindo-o a tal ponto que ele não pode mais suportar, vindo a perder a calma. Naquele momento, ele reconhece que tudo o que vem do natural não pode passar pela morte (que é a maior prova) e permanecer vivo.

E se, durante aquele momento, ele levantar a cabeça e orar: “O Deus, minha paciência chegou ao fim; permita que Tua paciência se manifeste em mim”, então, para sua grande surpresa, ele se descobrirá agindo com paciência sob todos os tipos de morte. Agora, isso é ressurreição, pois a ressurreição é a vida de Deus que passa pela morte e ainda existe.

Qualquer coisa que seja natural não pode ser ressuscitada após passar pela morte. Mas tudo o que pertence a Deus viverá depois de passar pela morte. Muitos não sabem o que pertence ao ego e o que pertence a Deus, o que pertence ao natural e o que pertence a Cristo, o que é velho e o que é novo, o que é natural e o que é sobrenatural. Conseqüentemente, Deus permite que a morte venha sobre eles a fim de conhecerem o que pode passar pela morte e o que não pode. E, assim, eles conhecerão a ressurreição.

Por que Deus permite que a pressão venha sobre você? Por nenhuma outra razão senão a de lhe revelar que qualquer coisa que você julgue capaz de realizar, de suportar e de resistir a ela deve ser reduzida a nada. Você é pressionado a tal ponto que só pode dizer: “O Deus, não posso mais suportar. Minha força esgotou-se. Por favor, manifesta Teu poder!”. Deus vai permitir que você seja pressionado até que obtenha o poder Dele. Naquele ponto, a pressão torna-se não apenas seu poder de oração, mas ela extrai, também, o poder operador de Deus.

Assim aconteceu com o Senhor Jesus Cristo: “Se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, ele fica só”, observou o Senhor Jesus, “mas, se morrer, dá muito fruto” (Jo 12.24). Minha oração é que você e eu possamos conhecer Cristo e Seu poder de ressurreição mais profundamente, dia a dia.

Este foi o alvo de Paulo em toda a sua vida: “Não que já a tenha alcançado”, declarou o apóstolo, “ou que seja perfeito; mas prossigo (…) para que possa conhecê-Lo (experimentá-Lo), e o poder da Sua ressurreição (não apenas o fato da ressurreição de Cristo)” (Fp 3.12, 10). Ele também declarou isto: “Em tudo somos atribulados, porém não angustiados (isso se refere à situação exterior deles); perplexos, porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos, porém não destruídos; levando sempre no corpo o morrer de Jesus, para que também a Sua vida se manifeste em nosso corpo” (2 Co 4.8-10). Isso se refere às circunstâncias de Paulo e à vida dentro dele. Ele tinha muitas pressões exteriormente, mas tinha também grande poder dentro de si. As pressões externas a ele apenas manifestavam seu poder interior.

O ambiente onde cada um de nós está é preparado por Deus. Por favor, lembre-se de que você está onde está pela ordenação Dele, seja no lar, na escola ou no trabalho.

Sejam quais forem as circunstâncias em que você se encontrar, sejam elas suaves ou ásperas, Deus quer que você manifeste a vida de ressurreição de Cristo. O crescimento de um cristão depende da maneira como ele lida com o ambiente onde está. Todas as coisas que nos pressionam muito têm como propósito treinar-nos para conhecermos o poder da ressurreição.

Quem é o mais poderoso? Aquele que oferece mais orações será, sem dúvida, o mais poderoso. Mas o que significa alguém dizer que a vida mais profunda possui maior poder? Significa nada mais do que isto: a pessoa que tem mais pressão tem mais habilidade para tratar com ela. De modo que a profundidade da vida de um crente pode ser medida pela maneira como ele trata com sua pressão. Infelizmente, o cristão, com muita freqüência, gosta de preservar seu poder natural. Ele não quer morrer, exatamente como Pedro não queria que o Senhor morresse. Entretanto, se o Senhor não tivesse morrido, hoje não haveria ressurreição. Muitos cristãos consideram, como vida boa, aquela que tem poucas dificuldades e angústias. Sempre que deparam com alguma coisa dolorosa, eles pedem a Deus para removê-la. Podemos dizer que eles estão vivendo, mas isso certamente não pode ser chamado de ressurreição. Suponhamos que, em sua constituição natural, você pudesse suportar a censura de dez pessoas, mas não mais; assim, pede a Deus para não permitir que você seja tentado acima da censura dos dez. Mas Deus permite que a pressão de onze pessoas venha sobre você. Em tais situações, você, por fim, clama a Ele que não pode mais suportar, pois está além da sua capacidade. Permita-me dizer que Deus, não obstante, deixará que você seja pressionado além daquilo que seu próprio poder e paciência e bondade naturais possam suportar. O resultado será que você dirá a Ele que não pode mais suportar e pedirá que lhe conceda o poder para vencer. Naquele momento, você experimentará um poder novo e maior que pode suportar crítica, não apenas de dez, mas até de vinte pessoas. Você veio a reconhecer e experimentar que, quanto maior for a pressão, maior seu poder; e que, sempre que estiver sem poder, é porque você não foi colocado sob a disciplina da pressão.

Então, se isso é assim, por que muitos demoram-se em buscar a Deus até que a pressão torna-se grande? Devemos, antes, bus-cá-Lo tão logo sintamos nossa incapacidade e, imediatamente, receberemos o poder necessário. Por isso, sempre que deparamos com nova pressão, devemos utilizá-la para transformá-la em poder. Nosso poder crescerá com cada encontro desses.

Deus nunca preserva a constituição natural; Ele só quer o ressurreto. Ele nunca muda o natural, visto ser Ele “o Deus que vivifica os mortos e chama à existência as coisas que não existem” (Rm 4.17). Chamar algo do nada é o poder que Deus tem de criar, dar vida ao que está morto é o poder redentor de Deus. Abraão creu em Deus como Aquele que cria todas as coisas do nada e dá vida aos mortos. O homem gostaria de proteger sua vida, mas Deus rejeita essa vida. E depois que o homem é quebrado por Deus e Lhe confessa que é absolutamente desamparado, aquele homem será ressuscitado dos mortos. Esse é o segredo da vida e do poder.

Quando deparar com muitas pressões, você deve lembrar que pressão é poder e, portanto, não devem ser evitadas, mas, sim, acolhidas. Pois quanto maior for a pressão sobre você, maior será seu poder. Você vencerá tudo e obterá força ainda maior.

Confiar em Deus, sempre

Uma das coisas mais dificeis para qualquer pessoa, seja ele homem ou mulher, é aprender a confiar e a descansar em Deus. Às vezes oramos por algo que ao nosso ver resolveria todos os nossos problemas caso tal petição fosse atendida. É nesse ponto que temos a chance de aprender a confiar na sabedoria e no amor de Deus, caso ele não responda conforme esperamos. É preciso lembrar que a graça do Senhor nos é suficiente, para nos manter firmes em toda e qualquer circunstância. Quem não entende isso, acaba se escandalizando com Deus, achando que ele não está sendo justo ao “demorar” para atender a uma oração, ou ao dizer não a ela.

Mas Deus é amor, e não sentimentalista. O sentimentalismo faz com que um pai diga sim a um filho, quando ele sabe que deveria dizer não. Deus porém não age assim – ele age com base no amor e na justiça, visando sempre o que é melhor para nós. Ele deseja muito que entendamos isso.

Lorimar

Tentação X Pecado (parte 1)

Olá!

Estava dando uma lida neste post e achei interessante compartilhar com vocês. Todos os dias nós somos tentados,  e isso não terá fim até que o Senhor Jesus venha nos buscar. Enquanto isso, lutemos bravamente para não cairmos em tentação, dependendo sempre da graça de Deus.

Lorimar

por Pati Geiger do blog Não Morda a Maçã

Oiiii galera!!!

Tudoo bem com vcs?

Se eu te pedir, o que é tentação, vc saberia me responder de forma simples?

Muitas pessoas confundem tentação com pecado.                                                                                                                            maca 300x187 Tentação X Pecado  (parte 1)

O pecado não é algo instantâneo, é sempre precedido pela tentação e pelo processo de reagirmos a ela. Ou seja , ser tentado não é pecado. E toda tentação pode ser vencida, por isto, todo pecado pode ser evitado. Não podemos de maneira alguma fazer da tentação um pretexto para o pecado.

“… cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, uma vez consumado, gera a morte.”  Tiago 1:14 e 15

A tentação não está obrigatoriamente ligada a pecaminosidade. Tanto Adão quanto Jesus não possuíam pecado e ambos foram tentados: Adão cedeu à tentação, enquanto Jesus mostrou que podemos vencê-la.nãomordamaçã 257x300 Tentação X Pecado  (parte 1)

É muito importante entendermos também o que é o pecado. Acredito que estaríamos sendo muito superficiais e até mesmo injustos definindo o pecado simplesmente através de uma lista legalista de “não podes”.

Vamos, portanto, estabelecer a definição de pecado a partir do nosso relacionamento com os nossos sentimentos e desejos juntamente com o respectivo efeito colateral disto, ou seja, “quem governa quem?” Governamos nossos desejos ou nossos desejos nos governam, ou melhor, nos desgovernam?

Paulo aborda esta questão de uma maneira muito clara:

“Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convém: todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma”. (I Co 6:12)

Portanto, pecado é o resultado de falharmos diante deste conflito: dominamos sobre nossos desejos e sentimentos ou somos dominados?

Os três desejos básicos

Existem três desejos básicos que Deus colocou no homem. “Existem três desejos básicos – nem mais, nem menos que três. Eva foi tentada nestes três desejos básicos: O desejo de ter prazer nas coisas, o desejo de obter coisas e o desejo de realizar coisas” T. A. Hegre.

“Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer (1), agradável aos olhos (2), e árvore desejável para dar entendimento (3)…” (Gn 3:6)

“Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne (1), a concupiscência dos olhos (2) e a soberba da vida (3), não é do Pai, mas do mundo”, (1 Jo 2:16)

Devemos ressaltar que a palavra “concupiscência” significa apenas um desejo forte, uma propensão ou inclinação acentuada. Poderíamos dizer que o processo da tentação se dá em quatro fases quase que simultâneas:

1. Concupiscência da carnegula1 199x300 Tentação X Pecado  (parte 1)

É expresso nas palavras: “Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer” (Gn 3:6). Diz respeito ao desejo de “Obter satisfação”. É um desejo legítimo, dado por Deus. Tem a ver com as nossas necessidades como ser humano. Ex: apetite alimentar, sono, prazer sexual, aceitação (conforto emocional), etc.

A tentação reside numa instigação feita ao homem para que ultrapasse os limites estabelecidos pela palavra de Deus. O resultado seria glutonaria, bebedice, preguiça, fornicação, lascívia, manipulação, etc. Aqui se aplica o conceito de carnalidade, que nada mais é que a idolatria do desejo de obter satisfação.

2.    Concupiscência dos olhos

É apresentado nas palavras:”… agradável aos olhos…” (Gn 3:6b). Este é um outro desejo legítimo codinheiro 223x300 Tentação X Pecado  (parte 1)ncedido por Deus,  de se “adquirir coisas”, o desejo de aquisição, relacionado com necessidades exteriores ao nosso corpo, coisas que almejamos conseguir. Existe um toque muito forte de realização neste desejo. Nós podemos querer ter coisas, mas não devemos querer nada que Deus também não queira para nós. Só na vontade de Deus, vamos experimentar o que verdadeiramente é bom, perfeito e agradável (Rm 12:2). Por isto é tão cabível a admoestação de Paulo: “Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor (Ef5:17).

Quando queremos muito, despertamos em nós uma ambição que pode ser implacável e destrutiva. E este desejo pode crescer tanto, vindo a dominar-nos através da inveja, ciúmes, roubo, homicídio, etc.

3.    Soberba da vida

Expresso nas palavras seguintes: “e arvore desejável para dar entendimento’ (Gn 3:6c). Este é mais um desejo legítimo, concedido ao homem por Deus, de saber e fazer. É importante querermos realizar alguma coisa, adquirir conhecimento, ser alguém, ter criatividade. Mas, aqui também precisamos nos afinar com a palavra de Deus.

A tentação reside no fato de abandonarmos os planos de Deus e agirmos por conta própria. Alguns pecados nesta área seriam: auto-afirmação, orgulho, superioridade, inferioridade, competição, etc.

É muito comum vermos pessoas fazendo a obra de Deus sem Deus, por causa disto.

Resumindo, somos tentados em 3 áreas!

É indispensável desenvolvermos uma habilidade espiritual de resistir à tentação. Quanto mais resistimos à tentação mais imunidade adquirimos em relação àquela área. A mente é o campo de batalha, por isto precisamos bombardear os pensamentos de tentação com verdades vivas da Palavra de Deus como Jesus fez com o diabo.

Para isto acontecer na prática, é indispensável uma vida devocional diária. Um relacionamento responsável com Deus na Palavra e na oração redunda numa vida plena de discernimento espiritual e domínio próprio.

Tá, mas vc pode estar pensando: “ninguém entende as tentações q eu passo” ou “ninguém passa pelo que eu passo”.

Será?  Semana que vem vamos continuar o assunto!

obs: baseado no livro “A face oculta do amor”, do escritor Marcos de Souza Borges. Reorganizei algumas ideias e inclui outras. Achei muito legal a forma como o autor trata dessas questões e resolvi compartilhar com vcs!

Fonte: http://naomordamaca.com/2010/05/11/tentacao-x-pecado-parte-1/

Por que memorizar a palavra de Deus?

No dia 23/01/10 fiz uma postagem falando sobre a memorização da palavra de Deus (https://atos242.wordpress.com/2010/01/23/memorizar-a-palavra-de-deus).

Hoje gostaria de falar um pouco mais sobre isso.

Não me considero uma pessoa com facilidade para decorar textos. Na época da escola e da faculdade eu precisa ler bastante a matéria para poder ir bem nas provas. Mas um dia aceitei o desafio de memorizar pelo menos um livro da bíblia.

Eu fazia parte de um grupo, todos jovens, que se reunia com frequência para orar e estudar a biblia. Um de nossos estudos estava relaciondo ao livro de Tiago. Comecei a me interessar muito por esse livro, e decidi memorizá-lo. Não lembro quanto tempo exatamente levei para conseguir isso, mas o fato é que o memorizei, e mais rápido do que eu pensava. Vários anos se passaram e continuo a experimentar os benefícios da memorização desta carta. Hoje, quando as tribulações e as dificuldades surgem, sempre lembro de Tiago 1.2:

Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações.

É para isso que serve a palavra de Deus em nossa mente. Quando a necessidade surge, temos um depósito em nossa mente e em nosso coração. A palavra de Deus é viva e eficaz. Para o mundo em que vivemos é loucura o alegrar-se nas tribulações, mas são elas que tratam com nossas vontades e  fazem-nos render a Deus, moldando-nos ao caráter de Cristo.

Entusiasmado com a memorização de Tiago, decidi também memorizar Filipenses. Durante o processo de memorização desta carta comecei a aprender sobre a alegria em todas as circunstâncias. Quando Paulo escreveu esta carta ele estava em uma prisão, passando toda a sorte de privações e sofrimentos (imagine como eram as prisões naquele tempo). De diferentes formas a palavra “alegria” ocorre 16 vezes nesta epístola. Um delas está em Filipenses 4.4:

Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos

Além do tema alegria Filipenses nos ensina  a desenvolver a nossa salvação (2.12), sobre humildade e mansidão (2.5), sobre o nosso chamado (3.14), sobre não andar ansioso (4.6), sobre o que deve ocupar a nossa mente (4.8), e muitos outros assuntos importantes para o nosso crescimento na fé. Na necessidade, o Espírito Santo pode trazer à nossa mente a palavra memorizada. À medida que declaramos a palavra de Deus, nossas vidas são tranformadas e situações críticas são resolvidas.

Toda a vontade de Deus está em Sua palavra. Se orarmos segundo Sua ela seremos bem sucedidos na oração. Jesus agia assim, totalmente de acordo com a vontade do Pai. Assim ele derrotou Satanás no deserto, citando a palavra de Deus (Mt 4.1-11). Ela é a nossa espada; nossa eficaz arma de ataque. Se a usarmos adequadamente, tendo em vista somente a glória de Deus, assim como Jesus, seremos sempre vitoriosos na oração. O maligno não resistirá, e nossa alma descansará, livre de ansiedades e preocupações.

Não há como crescermos na fé sem disciplina em relação à leitura bíblica. Podemos ler vários livros excelentes, podemos acessar sites ou blogs com conteúdo, mas eles jamais poderão tomar o espaço da Bíblia. É a palavra de Deus que nos transforma, e que nos sonda. Ali está tudo o que precisamos saber para viver uma vida segundo o coração de Deus.

Gostaria de encorajar os leitores deste blog a memorizar algum livro da bíblia. Se você acha que é uma tarefa difícil, comece memorizando um livro menor, como 3 João por exemplo. Isso servirá de estímulo para outros livros. Você pode usar várias técnicas para memorizar; lendo, gravando, escrevendo, cantando. Tenho um amigo que é músico e memorizou Tiago e o Salmo 119 cantando. Fica aí uma dica para quem é músico.

Em minha experiência com relação à palavra de Deus posso assim dizer como o Salmista no Salmo 119.92:

Não fosse a tua lei ter sido o meu prazer, há muito já teria eu perecido na minha angústia

Que você seja bem sucedido em memorizar a palavra do Senhor.

Lorimar

Perseverança

Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa. (Hb 10.36)

Andar com Deus é trilhar o caminho da perseverança. Mas como nos desviamos rapidamente deste caminho! Há semanas ou dias onde tudo flui tão maravilhosamente bem; os problemas são facilmente resolvidos; não há doenças, não há falta de dinheiro, nos sentimos bem. Entretanto há dias onde o desânimo e a falta de perspectivas nos cercam, em função das adversidades que surgem. Às vezes nos questionamos se devemos continuar a orar por um determinado assunto, pois nos sentimos como se Deus não estivesse nos ouvindo.

Aí é que entra a perseverança. Há várias passagens bíblicas que nos estimulam a praticá-la (Lc 8.15; Lc 21.19; Rm 5.3-4; Rm 8.25; Rm 15.4-5; 2Co 6.4; AP 2.2-3, e outras mais). Ser perseverante é ser constante e paciente. Os ventos podem soprar com força, mas os que perseveram permanecem firmes, mesmo em meio à tempestade, e, como sabemos,as tempestades vem para todos. Aqueles que olham para o Senhor aprendem a se fortalecer através dela – eles esperam pacientemente no Senhor (Sl 40.1) até serem socorridos.

O Senhor honrará nossa perseverança, e poderemos ser um canal dele para tocar vidas que estão se sentindo sem esperança. Há uma enfermidade em sua vida que você sabe que Deus quer curar? Não desista de falar com ele sobre isso. Suas finanças estão em colapso? Se você entregá-las a ele, elas entrarão em equilíbrio e você em descanso. Apenas persevere e busque constantemente a vontade do Pai para esta e outras áreas de sua vida.

O tempo de Deus não é o mesmo que o nosso. Precisamos entender isso e colaborar com ele no cumprimento do seu propósito. Embora o mundo esteja cada dia mais em caos, o Senhor trabalha para que a vontade do Pai se cumpra em toda a terra, e ele não desiste de nós ainda que haja milhões de razões para fazê-lo. Ele é perseverante, pois sabe o final da história. Nós também sabemos como as coisas terminarão. A palavra de Deus nos mostra isso claramente; aquele que perseverar até o fim será salvo (Mt 24.13) Já temos recebido as “ferramentas” que nos capacitam a nos manter firmes: oração e leitura bíblica, ao mesmo tempo que nos apegamamos mais fortemente à comunhão com nossos irmãos e irmãs.

Que você e eu perseveremos, com nossos olhos fixos em Jesus Cristo, nossa esperança.

Lorimar