Arquivo da categoria: Obediência

É a Tua vontade?

Li uma história acerca de um irmão que foi ao consultório de um médico cristão com o objetivo de lhe vender alguns livretos que ele mesmo tinha escrito. Ao chegar ao consultório ele teve que esperar algum tempo até que o médico pudesse atendê-lo. Ao ser atendido ele começa a apresentar com entusiasmo seu trabalho; o médico o ouve atentamente. Ao final ele faz uma simples pergunta ao irmão: “Por que você está escrevendo este material?” Ele responde: “Meu objetivo ao escrever este material é proporcionar maturidade espiritual aos que o lêem.”. “Resposta errada”, diz o médico. “Não estou interessado em seus livretos.” E explica por que: “Se você me falasse que foi Deus quem te mandou escrever estes livretos eu compraria todos eles.”
Não precisa falar mais nada não é mesmo? Este médico sabia que se Deus não for o originador de nossas motivações, de nada adianta nosso esforço. Este é um ponto fundamental na vida cristã, e que separa cristãos frutíferos daqueles que se movem pelo ativismo. Se pararmos para pensar, vemos que a maioria de nossos projetos e planos tem origem na carne; na edificação do “eu”. Por isso precisamos pedir ao Senhor que sonde profundamente nossos corações, para achar a vontade de Deus e a motivação correta. Isso certamente não é fácil, e requer basicamente disciplina em duas coisas: Oração e meditação nas Escrituras.
Jesus é nosso maior exemplo no aspecto de buscar atentamente a vontade do Pai. Ele dizia: “A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra.” (Jo 4:34). A vontade de Deus era Seu alimento diário; Ele se fartava deste alimento, Sua fonte de energia e poder. Busquemos também esta comida que nos nutre por completo.

Lorimar

Obedecer é melhor do que sacrifícios

Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros. 1 Samuel 15:22

Obedecer não é uma coisa natural para nós. Quando criança, aprendemos a palavra “não” antes da palavra “sim”. Abrigamos a rebelião e a desobediência desde os primeiros dias da nossa vida.

Para Deus a rebelião e a feitiçaria são sinônimos (1 Samuel 15:23). Muitas vezes, quando estamos em desobediência acerca de algo que o Senhor nos pediu, passamos a fazer coisas (sacrifícios) para agradá-lo, tentando aliviar nossa consciência. Não basta ser usado por Deus; é preciso ser aprovado por ele. Balaão foi usado pelo Senhor para abençoar Israel, entretanto foi reprovado, pois possuía um  coração obstinado (Números 22 a 24).

Deus está interessado em que obedeçamos integralmente sua palavra dada a nós, assim provamos que o amamos de fato (João 14:15; 14:21). Desobedecer a Deus é andar em círculos na vida. Não prosperaremos se insistirmos em nossos próprios caminhos.

Como foi dito antes, obedecer não é uma coisa natural para nós. Para aprendermos a obediência, precisamos primeiramente aprender o caminho da cruz. A cruz precisa tratar com nossas vidas até que toda a nossa vontade seja aniquilada, restando apenas a vontade de Deus, que é boa, agradável e perfeita (Rm 12:2). Trilhar o caminho da cruz significa morte para o nosso “eu”, ao mesmo tempo que produz vida para Deus – entramos em uma nova dimensão de paz e alegria; nada mais importa, senão a vontade do Senhor.

Fazer a vontade do Senhor deveria ser o nosso alimento, nossa busca intensa e constante. Jesus vivia este padrão:

Disse-lhes Jesus: A minha comida consiste em fazer a vontade daquele que me enviou e realizar a sua obra. João 4:34

Deus deseja que também vivamos este padrão de fé e obediência. O Espírito Santo que habita em nós nos auxiliará nessa caminhada.

Lorimar

Os planos do homem e os planos de Deus

“O coração do homem pode fazer planos, mas a resposta certa dos lábios vem do Senhor.” Pv 16.1

É próprio do ser humano fazer planos, e é correto fazê-lo, senão seríamos como robôs, desprovidos de iniciativa. Entretanto, todos os nossos planos precisam estar alinhados de acordo com a vontade de Deus. Isso é óbvio, e penso que todos os verdadeiros discípulos de Cristo sabem disso. Entretanto, ao colocarmos isso em prática, vemos que não é tão fácil assim, pois andar de acordo com a vontade de Deus é sinônimo de caminho de cruz. Nossa alma, ansiosa por natureza, reluta em esperar no Senhor, principalmente quando nos vemos em situações, onde uma resposta urgente se faz necessária.

Para ilustrar, vou citar um exemplo que ouvi de um irmão:

Este irmão tem uma casa que era financiada por um banco, e este banco estava oferendo a oportunidade de quitação da casa por um valor muito baixo. Era realmente uma oferta “imperdível”, principalmente porque pessoas próximas falavam que ele não devia perder essa oportunidade. Naturalmente falando, era irrecusável a proposta. Mas o que fez esse irmão? Simplesmente disse: “Não farei esse negócio, pois Deus não me falou que eu deveria fazê-lo”. Irmãos ficaram perplexos com sua atitude! Como ele pode perder um negócio desses?!

A resposta veio pouco tempo depois. O banco fez a quitação total do imóvel, sem custos para este irmão, que estava com os olhos, ouvidos e coração no Amado Senhor. Quanta felicidade deve ter ele experimentado; não pela economia do dinheiro, mas pela experiência com Deus. Fui muito edificado ao ouvir seu testemunho. Isso faz cair por terra todo argumento de que Deus é inflexível e insensível ao impor sua vontade em nossos planos. Precisamos lembrar que Deus nos ama com um amor eterno, e que esse amor faz com que ele jamais abra mão de sua vontade, que sempre nos beneficiará.

O mundo está um caos maior a cada dia que passa,  porque está em rebelião à vontade de Deus, pois todas as decisões tomadas fora do conselho do Senhor estão fadadas ao fracasso.

Recomendo que os leitores deste post leiam e meditem em Provébios 16. Segue abaixo mais alguns versos que falam sobre confiança e dependência de Deus.

Abraços!

Lorimar

Confia ao Senhor as tuas obras, e os teus desígnios serão estabelecidos. Pv 16.3

O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos. Pv 16.9

Há caminho que parece direito ao homem, mas afinal são caminhos de morte. Pv 16.25

A sorte se lança no regaço, mas do Senhor procede toda decisão. Pv 16.33

Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama

Muitas vezes falamos que amamos a Deus, porém nossos atos mostram o contrário. Amar a Deus vai muito além do sentimento – trata-se de obediência total à sua vontade. A vontade de Deus, segundo a Bíblia é perfeita, boa e agradável (Rm 12.2). Se de fato amamos a Deus, meditaremos em sua palavra diariamente, pois ali está toda a sua vontade. Devemos desejar ardentemente que as palavras que lemos sejam reveladas em nosso entendimento, pois elas geram transformação.

Jesus cumpriu toda a vontade do Pai; se fixarmos nossos olhos nele poderemos também andar em conformidade com esta vontade. Claro que isso não é fácil – é necessário tomar a cruz diariamente, negando nossas próprias vontades e desejos. A cruz é sinônimo de morte para o nosso eu, entretanto ela produz a vida que agrada ao Senhor.

Que busquemos com diligência aprender e obedecer à vontade de nosso Pai Celeste.

Lorimar