Arquivo da categoria: Exortação

Quanto custa ser um homem?

Segue um texto do pastor Paul Washer:

A perda da masculinidade nos nossos dias.

Nas escrituras e em muitas civilizações havia esta noção de que o macho ou era um menino ou era um homem. Não há muitos jovens que gostam de ser chamados de meninos. Então, havendo apenas duas opções, um jovem iria se esforçar para se tornar um homem, pois não quer ser um menino. Mas esta falsa idéia de “modelos evolucionários” trouxe uma terceira categoria: adolescentes.
Então agora quando um garoto atinge a idade de onze, doze anos, ele é chamado de adolescente. E é dito a ele que ele tem que se auto-descobrir, buscar autonomia, ser rebelde, etc.

Mas a bíblia não ensina que exista um período assim. E esta fase é perfeita para o cara preguiçoso, que quer experimentar os privilégios de um homem, mas não quer assumir as responsabilidades de um homem, e continua agindo como um menino, até a idade de trinta anos. A responsabilidade primordial de um homem santo é gerar homens santos. A responsabilidade primordial de um pai é investir sua vida, a todo custo, para criar seus filhos, de maneira que eles cheguem a idade de 17 ou 18 anos e possam assumir o título de homem.

homem bebe Quanto custa ser um homem?

Alguns jovens me perguntam: “Quando eu devo começar a namorar?”. O namoro é algo recente, cultural, que nasceu nos últimos cem anos para cá. É algo recreacional. Você quer sair com uma garota… por que? Porque você quer os privilégios de ter uma parceira ao seu lado mas sem assumir as responsabilidade de ter uma parceira. Então, quando eu posso começar a me relacionar com alguém do sexo oposto? Quando você se tornar um homem.

E o que quer dizer se tornar um homem?
De acordo com as escrituras, em primeiro lugar, é ser capaz de ser o líder espiritual de uma mulher e de uma casa. Antes disso, biblicamente, você não é considerado um homem. Não é apenas ter a capacidade de fazer isto, mas é assumir a responsabilidade, o peso nos seus ombros, de guiar espiritualmente sua família, ensinando e sendo exemplo.

Além disso, você estar pronto para proteger sua família. Não significa ser cheio de músculos, mas ter o caráter forte e necessário para enfrentar as adversidades que batem a porta. Não é obrigação da sua esposa fazer isto. É sua responsabilidade se colocar na porta para que sua mulher nunca tenha que enfrentar os problemas e seus filhos tenham um lugar seguro para crescer e se desenvolver.

Quando um rapaz pode iniciar um relacionamento?
Quando ele pode ser um provedor para aquela pessoa. Por exemplo, se seu pai e sua mãe ainda pagam suas contas, “você não tem o direito” de pensar em alguém do sexo oposto. Apenas porque você atingiu certa idade não quer dizer que pode participar de tudo o que diz respeito a um homem. Você pode ter vinte e um anos e ser ainda um menino. A bíblia sempre trata com homens: “e por esta razão o homem deixa seu pai e sua mãe para se unir a mulher”.

Esta idéia de namoro recreacional, “estou com ela porque gosto dela”, não existe na bíblia, nem mesmo nas culturas dos povos, exceto na cultura moderna ocidental. Os cristãos tem pelo menos cinco relacionamentos antes de se casarem, então quando chegam no altar, cinco partes deles estão espalhadas por aí. Eles não são uma pessoa completa. Você não pode entrar em um relacionamento, de qualquer tipo de intimidade, sem deixar uma parte de você mesmo para trás.

bebe homem Quanto custa ser um homem?

Não existe na bíblia a idéia de um garoto, debaixo do teto de seus pais, se alimentando da mesa deles, sustentado por eles, irá sair e se divertir com alguém do sexo oposto. Ela diz que para estar junto com alguém você deve deixar seu pai e sua mãe.

Então, tudo o que conhecemos terá que ser mudado? Exatamente. Mas se você é jovem, você crescerá rápido e se disser: “Eu não posso mais ser um garoto ou brincar com as coisas de garoto, e ao mesmo tempo esperar ter a permissão de participar nos privilégios de homens”.

Pais, é sua principal responsabilidade que quando seus garotos atingirem 18 anos, eles sejam homens. E por que a masculinidade bíblica se perdeu nos dias de hoje? Eu perguntava para um grupo de garotos: “Vocês estão no ensino médio. Vocês já escutaram seus amigos conversando sobre como crescer e se tornar um homem de verdade, desenvolver o meu caráter, ser capaz de tomar conta de mim mesmo, depois encontrar um esposa e criar uma família santa?” Não, eles estão todos brincando com Playstations e coisas assim.

Eu morei em uma tribo no Peru por muitos anos. Lá, quando um garoto tem 14 anos ele pode se casar, porque ele pode construir sua casa, pode fazer uma plantação, pode lutar para defender sua tribo de outras tribos. Mas na nossa cultura, a época do colégio é pura diversão, sem essa noção de “Eu tenho que me tornar um homem”. Depois, vem a universidade, que nada mais é que um colégio com pessoas mais velhas, onde o mesmo espírito permanece:

“Vamos pra festa! Vamos andar poraí com nossos amigos! Vamos continuar a nos divertir”.

E alguns, quando saem da universidade, continuam:

“Ótimo, agora eu tenho dinheiro, posso comprar mais Playstations! Posso ter mais hobbies e comprar brinquedos mais caros”.

E claro, eles querem sexo, então entram em um relacionamento. Mas, mesmo após o casamento, nunca assumem a responsabilidade de seu relacionamento. Pois não sabem que estão casando com uma esposa, acham que estão casando com uma “mãe”, então querem que o tratamento de “mãe” continue.

homem bebe2 Quanto custa ser um homem?

Os pais tem essa idéia de que quando seus filhos atingem a idade de 12 anos, 11 anos (e a idade continua diminuindo), e começam a pensar sobre o sexo oposto é chegada a hora deles entrarem em relacionamentos. Este não é o sinal de Deus de que seu filho deve entrar em um relacionamento, mas é o sinal de Deus que é hora de começar a trabalhar a sua masculinidade, para que com o tempo ele se torne um homem e possa entrar em um relacionamento. O mesmo vale para as meninas. A idéia de ter garotos e garotas de 12 e 13 anos se relacionando é doente.

O pior erro que você pode cometer é chegar para um de meus garotos e dizer: “Você é jovem, bonito, porque você não arranja umas namoradinhas?”. Eu vou lhe parar no mesmo instante e lhe manter distante dos meus filhos. Jovens garotos devem estar construindo castelos, lutando contra dragões e lendo Crônicas de Narnia.

O que acontece é que quando aquela faísca aparece, não há ninguém para direcioná-lo. Quem lhe ensina sobre isto é a televisão, revistas e outros garotos como você. É gasto muito tempo conversando sobre garotas, e jogos, e passeando por shoppings, e todo aquele tempo que deveria ser usado para desenvolver masculinidade e feminilidade é jogado fora.

Nos anos 60 e 70, nós quisemos dar ouvidos a grupos de feministas e homossexuais que queriam nos ensinar a como criar nossos filhos. Nós deveríamos ter ido nas escrituras, nas veredas antigas, nos caminhos do Senhor.

Houve o tempo em que os homens eram respeitados por colocarem comida na mesa. Agora, isto não é suficiente, você deve colocar dois carrões na garagem. E muitos homens e mulheres estão trabalhando e não é para colocar comida na mesa, é para comprar todos os brinquedos que a sociedade compra, pagar pelos seus hobbies e a crianças são esquecidas.

Sua obrigação não é dar as crianças todas as coisas que você nunca teve, pois foram as coisas que você nunca teve que fez de você o homem que você é hoje, e são estas coisas que você nunca teve e que você dá aos seus filhos que estão transformando-os em inúteis. Não devemos dar as nossas crianças tudo o que não tivemos, devemos dar a elas nós mesmos, um mentor, um pai, um líder.

Verso 19 de Gênesis 3 diz: “Do suor da tua face tu comerás o pão…”. Há tempos atrás, apenas pessoas milionárias viviam em mansões. Mas, na nossa sociedade moderna, achamos que qualquer pessoa que trabalhe meio-período tem o direito de morar em uma casa destas. Achamos que merecemos tudo, e que temos o dever de viver o estilo de vida que os ricos famosos vivem.

Não, não caiam na falsa idéia de que merecemos uma vida fácil, com várias férias, podendo viajar quando bem quisermos, que podemos terminar nosso trabalho no final do dia, trazer comida para casa, depois sentar na poltrona e ficar ali como um tronco de madeira morto, porque você merece. Isto está errado. Você deve viver do suor do seu trabalho. Esta é sua vida como homem. Você tem muitas obrigações a cumprir e pouco tempo para descansar. Sinto muito, isto é masculinidade.

Em suma, devemos acordar bem cedo, ir trabalhar, voltar para casa, e então nosso real trabalho começa. Temos uma esposa em casa para cuidar que precisa de muito mais do que apenas trazermos comida. E temos crianças que precisam ser discipuladas e mentoreadas. Então, desabamos na cama, para acordar no dia seguinte e fazer tudo de novo. Esta é a razão pela qual a mulher deve cuidar da casa e viver para seu marido, pois a vida dele é viver para eles.

bebe fazendo a barba Quanto custa ser um homem?

Nossa cultura prega que devemos ter uma vida fácil. Quando a queda aconteceu, no jardim, a vida fácil foi embora. Muitos homens trabalham, e eles odeiam isso, e eles ficam com suas famílias apenas suficiente para fazer o mínimo, e então podem fugir de seus trabalhos e de suas famílias para fazer algo que realmente gostem, e suas vidas ficam sempre nestes hobbies, nos esportes, em descansar, e outras coisas.

A única maneira de achar contentamento nesta vida é vendo o seu trabalho e suas responsabilidades nesta terra como ordenanças de Deus e aguardando sua recompensa no céu, realizando o trabalho que lhe é proposto e tirando sua alegria do fato de agradar a Deus ao assumir a responsabilidade de sua masculinidade.

Então não podemos praticar esportes ou descansar? Podemos, mas não tanto quanto gostaríamos, ou tanto quanto meus amigos, que não são casados ou não tem filhos. Existem fases diferentes em nossas vidas. Onde está seu coração? A verdadeira alegria não está em continuar sendo um menino eternamente, apenas com brinquedos mais caros e continuamente sendo cuidado por uma mãe, seja ela sua mãe mesmo ou sua esposa. A alegria e o contentamento vem de assumir sua responsabilidade que lhe foi proposta por Deus, de prover para sua família, e não apenas coisas físicas, pois isso é apenas uma pequena parte da provisão.

A pessoa mais importante na face da terra para um homem deve ser sua esposa.
E vice-versa. Uma terrível ilustração para isto é que, se eu estiver em um barco com minha mulher e meus filhos, e o barco estiver afundando, e apenas eu souber nadar e for capaz de salvar apenas uma pessoa, eu devo salvar minha esposa. Você já deve ter escutado: “Não há amor como o de mãe”, isso é errado, a bíblia fala que não há amor como o amor de um pai.

Você sabe porque tantas mulheres são tão ligadas as seus filhos?
Porque suas necessidades emocionais que deveriam ser supridas por seu marido não o são, então elas buscam esse suporte emocional nos seus filhos. O problema é que as crianças não foram feitas para nutrir emocionalmente os pais. Se o marido amar a esposa mais do que tudo, as crianças olharão e dirão: “Meu pai ama minha mãe mais do que tudo neste mundo. Este lar está seguro como uma rocha, papai não vai a lugar nenhum”. E a filha dirá: “Então é assim que um homem deve tratar uma mulher. Meu pai trata minha mãe como se fosse uma rainha. Eu não irei aceitar nada menos do que isto”.

Tradução e transcrição pela Equipe BC Heart da pregação “What it takes to be a man?”  – por Paul Washer
Disponível em áudio aqui (Inglês)

 

Fonte: http://naomordamaca.com/2011/01/21/quanto-custa-ser-um-homem/

 

Anúncios

É Possível Mudar o Curso de uma Nação?

Este artigo, extraído do livro “Holiness” (Santidade), publicado em 2003, foi escrito para os cristãos dos Estados Unidos. Como as verdades expostas aqui se aplicam para qualquer nação, nos trechos onde o autor se refere aos Estados Unidos, colocamos “Brasil” ou “mundo ocidental”.

Deus está chamando seu povo para se voltar a ele e ser um Caminho Santo (Is 35.8), por intermédio do qual ele possa chegar a este mundo perdido. Porém, se quisermos nos tornar um caminho santo, primeiro precisaremos compreender as implicações do pecado. E isso requer que vejamos o pecado da perspectiva de Deus. Precisamos edificar um relacionamento com Deus de tal forma que nossas vidas sejam um caminho para Deus alcançar toda a nação, trazendo um grande avivamento no meio do próprio povo do Senhor e um poderoso despertamento espiritual no coração de quem não o conhece.

 

Há uma profunda urgência no meu interior com relação a isso que tem pelo menos dois focos principais. Em primeiro lugar, se estou compreendendo as Escrituras corretamente, Deus promete julgar toda nação que deixar de seguir a direção dele. Pode bem ser que já estejamos sentindo os efeitos do princípio desse juízo divino.

 

Para encontrar os primeiros movimentos de afastamento de Deus por parte das igrejas e dos líderes nacionais, é necessário voltar para o princípio da década de 1960. É como se Deus tivesse removido sua cerca de proteção (veja Jó 1.10) das sociedades ocidentais a partir daquela época. Houve um princípio de licenciosidade desenfreada que veio aumentando de lá para cá. Parece não ter surgido nenhuma iniciativa capaz de impedir a crescente maré de injustiça na sociedade. As igrejas têm sentido os efeitos disso e, em certa medida, têm andado na mesma direção, afastando-se cada vez mais do Caminho Santo. Com o desmoronamento da cerca de proteção divina, estamos experimentando as consequências do nosso próprio pecado.

 

Há uma urgência nas Escrituras quando Deus diz: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra” (2 Cr 7.14).

 

Essa tremenda passagem indica claramente que a redenção de uma nação depende do arrependimento do povo de Deus. A salvação da nação tem pouco a ver com os políticos na capital ou com os diretores de cinema ou dos canais de televisão – tem a ver com o povo de Deus!

 

Se o povo de Deus não discernir que o problema está com eles, então o Brasil (ou qualquer outra nação) terá poucas chances de avivamento ou sobrevivência. Por isso, compreendendo cada vez mais o que Deus está dizendo em sua Palavra, sinto uma profunda urgência de que estamos mais próximos ao iminente juízo de Deus na nossa nação do que estivemos no ano passado.

 

Avivamento e Oração

Você acredita que quando o povo de Deus ora Deus ouve, responde e efetua uma profunda transformação? Você está ajudando sua família e as pessoas na sua igreja a orarem em favor do estado espiritual da própria vida e da vida dos familiares, dos membros da igreja e de toda a nação?

 

Lembre que Deus disse: “Porque, quanto ao Senhor, seus olhos passam por toda a terra, para mostrar-se forte para com aqueles cujo coração é totalmente dele” (2 Cr 16.9). Ele também disse: “Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo” (Tg 5.16). Jesus disse: “E tudo quanto pedirdes em meu nome [em coerência com tudo que vos ensinei], isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho” (Jo 14.13).

 

Com promessas como essas – que têm o poder de mudar o curso da história de uma nação –, o que você tem feito da oração em sua própria vida, em seu casamento, em sua família, igreja ou denominação?

 

Se um avivamento no Brasil dependesse da sua vida de oração, haveria um avivamento? Se você é obrigado a responder: “Se depender da minha oração, não”, então você precisa mudar sua vida de oração. Renovar sua vida de oração é uma simples questão de escolha pessoal. Sua vida é o produto de escolhas feitas por você, e sua igreja é o produto de escolhas feitas por ela. Sua reunião de oração é um espelho das escolhas feitas pela igreja. Sua nação reflete as escolhas feitas pelo povo de Deus em relação ao seu relacionamento coletivo com Deus.

 

É daí que vem a urgência de uma mensagem como esta. Creio que há muito em jogo aqui. Na realidade, o que está em jogo é a eternidade para muitas pessoas nesta nação. Mas só na sua igreja há pessoas suficientes – se estiverem sérias com Deus – para mudar o curso da nação.

 

No cenáculo, havia apenas 120 pessoas, mas estavam totalmente rendidas a Jesus Cristo (At 1.15). Deus usou esse pequeno grupo para transtornar todo o Império Romano (At 17.6). Em 1904, Deus usou um jovem do País de Gales, chamado Evan Roberts. Deus o quebrantou e sacudiu durante um período de oração – juntamente com várias outras pessoas que estavam orando em outras partes do país – e o resultado foi que 100 mil pessoas nasceram de novo pela fé em Jesus Cristo, num espaço de apenas seis meses. Esse grande avivamento de 1904 começou com oração. Milhares de pessoas saíram para o campo missionário. Com apenas 26 anos, Roberts ficou intensamente focado em oração e avivamento – e isso produziu um grande movimento missionário.

 

O que Deus poderá fazer por meio de sua vida? Você percebe como o Brasil carece de um poderoso toque da mão de Deus? Você acredita que Deus poderia fazer algo por meio de sua vida, assim como já o fez com tantos outros instrumentos dele na história? Você estaria disposto a tomar o tipo de decisão que Deus requer para ser esse tipo de pessoa? Sua resposta ao ler este artigo será um reflexo das escolhas que já tem feito com relação ao seu Senhor.

 

A Urgência da Hora

Há uma segunda razão pela urgência de ser completamente rendido a Deus neste momento atual da história. Eu creio que podemos ser a geração que estará viva quando o Senhor Jesus voltar. Creio que Deus pode estar chamando agora a última geração de pessoas que irão com ele em missão até os confins da Terra.

 

Quase todos os líderes que tenho encontrado nos últimos anos – tanto pastores de igrejas locais, quanto líderes de grupos ministeriais ou de denominações – estão falando a mesma coisa: acreditam de todo o coração que podemos ser a geração que receberá o Senhor Jesus de volta para esta Terra.

 

Já que o Pai sabe o tempo, o dia e a hora em que dirá: “Basta, não haverá mais demora; meu Filho voltará nas nuvens, o juízo começará e a eternidade será inaugurada”, você não acha que ele pode estar gerando uma urgência no coração de seu povo nas igrejas? Ele sabe que a hora está avançada e que há pouco tempo para as pessoas responderem ao seu chamado.

 

Você acredita que ficaremos face a face com nosso Senhor para prestarmos contas a ele pela forma como temos conduzido nossa vida? Você não concorda que o Pai, sabendo a hora da Segunda Vinda, já pode ter dado a ordem ao Espírito Santo para levar seu povo a entender a urgência da hora de forma que, quando as pessoas ouvirem a Palavra de Deus, sintam uma urgência diferente no coração? Ele quer impactar-nos com a verdade de que investir a vida neste mundo que logo passará é muito menos importante do que investi-la no Reino que jamais passará.

 

Deus está despertando o coração de crianças, jovens, universitários e até adultos em meio de carreira, chamando-os para missões como nunca antes. Recentemente, o conselho de uma organização missionária recebeu mais de 9 mil consultas de pessoas interessadas em trabalhar para Jesus no exterior. Há poucos anos, somente na Convenção Batista do Sul, nos Estados Unidos, mais de 300 mil pessoas se candidataram para trabalhos voluntários em missões dentro e fora do país. É muito provável que em poucos anos esse número cresça para 500 mil pessoas, envolvidas em missões por toda parte, até os confins da Terra.

 

Tenho ouvido muitos testemunhos nos últimos anos dizendo mais ou menos isto: “De maneira surpreendente, Deus tocou meu coração e levou-me a participar de uma viagem missionária. Nunca sonhei que estaria numa missão em outra parte do mundo, mas algo tremendo aconteceu, e eu fui. Depois disso, nunca mais fui o mesmo.”

 

Esse levantamento de voluntários está acontecendo no meio do povo de Deus, por toda parte. Não creio que seja algo acidental. Creio que tem a marca da mão de Deus, e que está relacionado com a proximidade da volta de Cristo. Por causa desses tempos urgentes, precisamos estar diante de Deus e da sua Palavra e ver as coisas da perspectiva dele.

 

Da Cabeça para o Coração

Não é suficiente Deus falar com você pela Palavra, porque mesmo que você tivesse todo o conhecimento intelectual do mundo, isso não transformaria sua vida. Porém, a partir do momento em que aquilo que você conhece na cabeça atinge o coração, você não conseguirá descansar de dia ou de noite enquanto Deus não fizer a verdade tornar-se prática e real.

 

Já ouvi muitas pessoas dizerem: “Eu creio que Jesus é o Filho de Deus. Creio que ele é o Salvador dos homens”. Toda a verdade que temos na nossa cabeça é também acreditada pelos demônios no inferno; mesmo assim, eles estão um passo à nossa frente. Pelo menos, eles tremem diante daquilo que sabem. Eles sabem que Jesus morreu pelos pecados do mundo; sabem que ele era o imaculado Filho de Deus e que foi ressuscitado dos mortos. Sabem que o poder que levantou Jesus da morte foi dado a cada pessoa que crê. Sabem que ele está intercedendo por nós e que em breve voltará.

 

Eles acreditam em cada uma dessas verdades que temos na cabeça – e ainda tremem diante delas! A diferença entre os demônios e nós acontece quando tiramos as verdades da cabeça e deixamo-las atingir o coração. Aí não conseguimos descansar noite ou dia enquanto aquilo que nos foi revelado na Palavra não começa a ser experimentado na vida.

 

Há um texto em 2 Coríntios que tem causado um impacto incrível na minha vida este ano. Diz o seguinte: “Porque quantas são as promessas de Deus, tantas têm nele o sim; porquanto também por ele é o amém para glória de Deus, por nosso intermédio” (2 Co 1.20). No momento em que você se uniu a Jesus por meio da obra redentora de Deus na morte do Filho na cruz, cada promessa que Deus já fez na Bíblia tornou-se “sim” para você. Provavelmente, você leitor já saiba disso na cabeça, mas quero lhe dizer como saber se essa verdade já atingiu o coração. Saber no coração que o texto acima é verdadeiro deveria levar você a buscar intensamente toda promessa que Deus já deu em sua Palavra, a fim de poder experimentá-la na prática e conhecer a realidade contida nela.

 

Se essa verdade estiver somente na cabeça, não mudará coisa alguma em sua vida. Mas quando você ouvir as palavras benditas do nosso Senhor: “Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em mim fará também as obras que eu faço e outras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai” (Jo 14.12), e essa verdade atingir seu coração, sua vida nunca mais será a mesma.

 

Você pode imaginar como o curso de seu país mudaria se tão-somente acreditássemos nessa única promessa de todo o coração? E, além dela, temos centenas de outras promessas na Palavra de Deus. Você tem permitido que aquilo que ouve na cabeça desça trinta centímetros para o coração e comece a mudar sua maneira de viver?

 

Você e eu temos o maior potencial do mundo de fazer uma diferença, porque Deus nos tem dado suas promessas. Ele disse que agiria diante da nossa resposta: “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros” (Tg 4.8). Por que, então, não nos aproximamos de Deus, continuando firmes nessa direção até que Deus, de fato, chegue-se a nós, transformando tudo em nós e à nossa volta pela sua presença?

 

Você não consegue ficar na presença de Deus e continuar igual. Seria simplesmente impossível. Este texto, “Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós outros”, é simples mas profundo.

 

Você está pegando as promessas de Deus e tomando uma posição de buscá-lo até que a vida dele se manifeste em você exatamente conforme prometeu? A tragédia é que muitos filhos de Deus sabem que estão vivendo exatamente como vivem as pessoas no mundo – e não ficam incomodados! Você sabia que incomoda Deus profundamente o fato de vivermos do nosso jeito e não do jeito dele? Para alguém que faz parte do povo de Deus, seguir o próprio caminho é pecado.

 

A Escritura diz: “… e tudo o que não provém de fé é pecado” (Rm 14.23). Esclarece ainda mais: “Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz, nisso está pecando” (Tg 4.17). Em outro lugar: “Todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei” (1 Jo 3.4). Uma das leis é esta: “Levai as cargas uns dos outros e, assim, cumprireis a lei de Cristo” (Gl 6.2). Ver seu irmão com uma carga pesada e não ajudá-lo a carregá-la – isso é pecado e entristece o coração de Deus.

 

Não há nada que pesa mais no coração de Deus, conforme o que vejo nas Escrituras, do que o pecado no coração e na vida do povo dele. Por isso, creio que precisamos ver o pecado da perspectiva de Deus – e não da nossa. Como Deus vê o pecado? De acordo com a Bíblia, é não atingir a exigência de Deus. Isso é pecado.

 

“Ah”, você pode responder, “eu sou apenas humano.” Não, você não é; você é habitado pelo Deus Todo-poderoso, se é que nasceu de novo! Antes, você era um mero humano, mas agora é um filho do Rei dos reis, um templo de Deus, e sua vida não lhe pertence. Agora, é Cristo que vive em você.

 

Não foi isso que Paulo afirmou? “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim; e esse viver que, agora, tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e a si mesmo se entregou por mim” (Gl 2.19,20). Não era apenas linguagem figurada, era um fato. Porém, de acordo com o meu entendimento, saber disso e resistir a Deus é pecado.

 

De acordo com a definição de 1 João 3.4, “pecado é a transgressão da lei” (ou rebeldia). Rebeldia é quando sabemos o que Deus diz e escolhemos não obedecer. Eu costumo dizer que as duas palavras que não combinam são não e Senhor. Uma das duas precisa ser eliminada. Se ele é Senhor, não há possibilidade de responder não. Você não pode chamá-lo Senhor sem dizer sim para ele. Deus está procurando filhos que respondam sempre “sim, Senhor”.

 

por Henry Blackaby

 

Fonte: http://www.oarautodasuavinda.com.br/?modulo=materia&id=262

 

Armadilhas…

Na região do Amazonas, caçar macacos para comer faz parte da cultura indígena há séculos. Uma das maneiras mais interessantes de caçá-los é usando sua própria natureza para enganá-los.

É assim que funciona: uma armadilha é construída para permitir que um macaco coloque a mão numa pequena abertura onde é colocada uma banana, dentro da armadilha. Quando o macaco enfia sua mão na abertura, ele segura a banana. Então, é impossível a ele retirar sua mão enquanto está segurando a banana.

Não importa o que aconteça ou quem se aproxima, o macaco não abre mão da banana. A banana é um fruto de satisfação temporário, mas o macaco troca sua vida e sua liberdade para ter este fruto e esta satisfação.

Jesus disse em Mateus 16.25: Pois quem quiser salvar a sua vida, a perderá, mas quem perder a sua vida por minha causa, a encontrará.”

Somente assim, ficamos livres das armadilhas deste mundo.
Tome cuidado com a satisfação temporária. Viva da satisfação permanente, que é Cristo em você. Permaneça!

CARLOS MCCORD

Entendendo o Amor do Pai

Porque o Senhor corrige o que ama, E açoita a qualquer que recebe por filho. (…) Porque [nossos pais], na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade. (Hebreus 12:6,10)

Amados irmãos em Cristo Jesus, quanto tempo nós filhos de Deus passamos sem compreender a revelação bíblica a respeito do reino do nosso Deus, do nosso Pai querido e das coisas que estão por vir, as coisas referentes ao tempo do fim!

O meu desejo, o meu dever nestas palavras é expressar a urgência de que todos nós filhos de Deus aguardemos a volta do Senhor Jesus e também estejamos conscientes sobre o nosso julgamento diante do tribunal de Cristo Jesus, e que cada um será retribuído conforme o seu viver hoje nesta terra.

A palavra de Deus é luz e, embora ela pareça ameaçadora, ela nos fala sobre correção, disciplina, açoites e dano da segunda morte.

Sendo assim, devemos compreender que açoites, correções, disciplina, ranger de dentes, são uma ameaça real apenas os filhos de Deus que são desobedientes ao Pai celestial.

Estas palavras que vou compartilhar com os meus amados irmãos sobre ENTENDER O AMOR DO PAI, na verdade são uma advertência, suplicando ao Senhor por sua Misericórdia sobre nossas vidas, para que nos dê oportunidade para nos ARREPENDERMOS, buscando viver, durante o tempo que nos resta, de modo agradável ao Senhor Jesus e vivendo para o seu supremo propósito.

Quando olhamos para o texto de Hebreus 12.6 podemos nos perguntar “POR QUE DEUS DISCIPLINA?”

A verdade é que Deus tem um propósito na disciplina.

Não é que Ele queira que soframos, mas sim que participemos da sua santidade.

Se um filho de Deus vive de maneira relaxada nesta terra, sem manifestar a natureza e a santidade de Deus, com certeza a mão de Deus recairá pesadamente sobre ele.

Deus, o nosso Pai, não gosta de nos açoitar.

Seu propósito é ter sua santidade manifestada em nós.

Portanto, percebemos que a disciplina não prova que não somos do Senhor, pelo contrário, ela prova que pertencemos ao Senhor.

Sendo assim, nunca poderemos dizer que um filho de Deus, que um crente poderá fazer tudo o que ele desejará após ser salvo.

Se um filho de Deus, se um crente dá vazão aos seus desejos maus, cometendo pecados, caindo em perversão e não tendo a santidade de Deus, Deus estenderá sua mão e o disciplinará por meio de seu AMBIENTE, de sua FAMÍLIA, sua SAÚDE, seu TRABALHO, e seus PLANOS FUTUROS.

Ele com certeza encontrará muitas dificuldades na FAMÍLIA, poderá experimentar muitas DOENÇAS e muitos INFORTÚNIOS em seu AMBIENTE.

Enfim, O Senhor quer que participemos de sua santidade. Nesta terra, ele quer que vivamos como filhos de Deus, expressando toda sua santidade.

É por isso que nosso Deus tem a sua maneira para conduzir-nos para a sua santidade.

Ele faz com que nos deparemos com muitas coisas em nossa FAMÍLIA, em nossos CORPOS, em nossa CARREIRA, em nossas FINANÇAS, em nosso AMBIENTE, a fim de que nos voltemos para Ele.

Enfim, esse é o propósito da disciplina em nossas vidas.

Ananias e Safira são um bom exemplo clássico no início do Novo Testamento.

Ananias e Safira eram crentes, eram filhos de Deus. Eles eram salvos, entretanto eles pecaram ao mentir ao Espírito Santo e receberam uma disciplina muito severa, conforme At 5.1-10.

O pecado deste casal cristão foi o de buscarem alguma vanglória.

Eles não se embebedaram nem cometeram adultério, entretanto o Senhor os disciplinou severamente por mentirem ao Espírito Santo, por desejarem alguma vanglória.

Os irmãos da igreja da cidade de Corinto não respeitavam a reunião da Mesa do Senhor, eles não respeitavam o corpo de Cristo Jesus e tratavam a Ceia de maneira leviana.

O resultado de tais atos é que a mão disciplinadora de Deus tornou-os em pessoas fracas e doentes, e até mesmo os fez morrer.

Deus, o nosso Deus, os tratou dessa maneira porque eles trataram o Corpo de Cristo Jesus levianamente: não viram a morte do Senhor Jesus, não viram a obra de Cristo Jesus, e não viram o Corpo de Cristo Jesus na prática da comunhão.

Eles não viram o respeito que deveriam prestar ao Senhor Jesus e, assim, após terem pecado, Deus os disciplinou!

Há um objetivo, há um propósito na disciplina de Deus, Ele visa salvar-nos de condenação no futuro, Ele visa salvar-nos da perda futura.

A primeira epístola do apóstolo João, no capitulo 5.16, nos fala de cristãos, nos fala de crentes, nos fala de filhos de Deus, que pecaram a tal ponto que Deus teria que fazê-los morrer e a carne deles seria removida deste mundo.

Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte.1 Jo 5.16

Sem a FÉ, o homem não pode ser SALVO.

Sem as BOAS OBRAS, o homem não pode ser RECOMPENSADO.

Em 2 Tm 4.14 nos diz:

Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras.

Aqui nos é citado um exemplo.

Um crente, estava tentando prejudicar Paulo, ele tinha pecado contra Paulo.

No futuro, os filhos de Deus serão recompensados diante de Deus segundo as suas obras.

A palavra de Deus nos fala sobre recebermos uma coroa, mas o que representa uma coroa?

Uma coroa representa uma POSIÇÃO NO REINO DE DEUS.

Ela também representa a GLÓRIA NO REINO DE DEUS.

Temos que ver que coroa é o símbolo do reino.

A coroa é uma recompensa para os VENCEDORES.

Deus nos mostra que, se alguém não puder entrar no Reino, irá para as trevas exteriores, ou seja, será castigado.

Por isso devemos viver em santo temor e tremor, lembrando-nos de que ainda há um julgamento diante de nós.

Esse julgamento determinará se receberemos ou não uma recompensa.

No reino, todos os filhos de Deus fíéis serão recompensados, e os infiéis serão punidos, serão castigados.

No evangelho de Mateus 7.21, há uma clara orientação de como poderemos entrar no reino dos céus.

Aqui o Senhor fará uma distinção clara entre os discípulos que podem entrar no reino dos céus e os que não podem.

Embora todos os discípulos sejam salvos, a condição para entrar no reino dos céus é fazer a vontade de Deus.

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.

O Senhor Jesus disse aos seus discípulos que eles não deveriam chamá-lo de Senhor somente com a boca.

Se eles o chamavam de Senhor, deveriam FAZER A VONTADE DO PAI.

Mesmo que tivessem as obras exteriores de Poder, de Profetizar, Expulsar demônios, Fazer Milagres, Falar em outras Línguas, mesmo assim estas obras não poderiam substituir a vontade do Pai.

O que O Senhor Jesus está dizendo, é que os filhos de Deus, os nascidos de novo, os crentes, os seus Discípulos, podem chamá-lo de Senhor e fazer muitas obras de Poder, mas ainda podem ser EXCLUÍDOS DO REINO DOS CÉUS.

Esta é a forte razão pela qual devemos ter entendimento e sermos cuidadosos em fazer a vontade de Deus.

Sinais e maravilhas é uma coisa, fazer a vontade de Deus é outra coisa!!!

O Senhor Jesus aos discípulos: “NUNCA VOS CONHECI. Apartai-vos de mim vós que praticais a INIQUIDADE.”

O “praticais a iniquidade” se refere a pessoas que não seguem regras, não guardam a lei, ou não aceitam regulamentos.

O problema com estes discípulos, não é o de fazer o mal, mas o de não ter princípios.

Mas o que são os princípios?

Os princípios são a Palavra de Deus.

Mas o que é a Palavra de Deus?

A Palavra de Deus é a vontade de Deus.

Se o crente não estiver fazendo a vontade de Deus, não importa o que faça, O Senhor Jesus dirá que ele é INÍQUO.

Todo filho de Deus. Todo cristão, todo discípulo, todo irmão que faz as coisas, segundo seu próprio EGO não terá parte no Reino dos Céus.

Podemos pensar que Profetizar, expulsar demônios e realizar Milagres seja o mais importante e que seremos pessoas maravilhosas.

Entretanto, essas coisas nunca poderão substituir a VONTADE DE DEUS.

Portanto, existe uma grande diferença entre trabalhar para Deus e fazer a vontade de Deus.

Nosso desejo é que hoje muitos sejam despertados, que Deus nos ajude e que possamos encontrar o equilíbrio.

Que possamos realizar muitas obras de Poder, que estejamos interessados em profetizar, expulsar demônios e realizar milagres, bem como em fazer a vontade de Deus conforme a sua Palavra.

Não nos enganemos, existe uma grande diferença entre trabalharmos para Deus e fazermos a vontade de Deus.

Fonte: http://alimentosolido.blogspot.com/2010/04/entendendo-o-amor-do-pai.html

Não se endureça pelo engano do pecado

“Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;” Hb 3:13

Estava medidando sobre este versículo, e me veio grande temor ao entender que se eu permitir que o pecado se torne um hábito em minha vida, ficarei endurecido por ele. Como sabemos o pecado é enganoso, sempre prometendo coisas que não pode cumprir. Se atendendermos aos seus apelos ficaremos calejados e insensíveis. Se continuamente repetirmos os mesmos pecados deliberadamente, gradativamanete perderemos a capacidade de nos arrepender. Como isso é sério!

Em Gálatas 6.7 lemos: Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará.”

A graça e a misericórdia de Deus são reais e sempre presentes na vida do pecador que verdadeiramente se arrepende de seus maus caminhos. Se negligerciarmos está tremenda dádiva, levando uma vida descuidada corremos o risco de ficarmos totalmente insensíveis ao pecado e a Deus.

Com a carne não se barganha, não se faz concessões – ela sempre lutará contra os espírito, pois são opostos entre si (Gl 5.17). Mas se andarmos no Espírito, jamais atenderemos aos desejos da carne (Gl 5.16).

Andemos então no Espírito. Nesse andar trilharemos o caminho da cruz,  e, se estamos interessados em sermos discípulos de Cristo, trilharemos com alegria esse caminho. Perderemos agora, nas coisas passageiras, porém ganharemos nas coisas eternas.

Uma semana de vitória!

Lorimar

Lorimar